comentar
gargolado por westnelson, em 28.07.11 às 23:38 link do gargol | favorito

Na terça-feira, 26 de Julho de 2011, os encarregados de educação dos alunos apanhados na malha da transferência da Escola Amadeu Gaudêncio para o Externato D. Fuas Roupinho, reuniram-se para debater o assunto num bar da Nazaré por recusarem reunirem-se numa das salas da escola. Trata-se de uma questão de liberdade de escolha que não está a ser respeitada num país livre e democrático. Ninguém pode ser obrigado a ir estudar para uma escola quando se está matriculado noutra. De salientar o incompreensível silêncio do director do Agrupamento de Escolas da Nazaré e a bipolaridade do chefe do executivo da Nazaré, que querendo agradar a Gregos e a Tróianos não ajuda em nada, antes, pelo contrário.


Muita tinta já correu, e ainda há-de correr sobre este assunto [+mais] ao qual, desde já, dou o meu total apoio aos pais e aos alunos. Não se trata de apoiar uma escola em detrimento de outra, nada disso. Trata-se, sim, de apoiar as escolhas de uma comunidade feitas livremente e num país livre. Contudo, os pais dos vinte alunos não aceitaram reunirem-se na escola e equacionam vir a tomar algumas medidas radicais. A primeira foi reunirem-se num bar da Nazaré com vista para o Porto de Abrigo. Pois meus amigos, foi uma má opção mas, diga-se, bastante radical como se propunham. Sempre puderam contar com o patrocínio do bar, colocando à sua disposição o espaço para a reunião. Como não há ponto sem nó, o negócio naquela tarde deve ter sido bastante mais lucrativo. Na escola não havia nem água com gás fresca com sabor a tremoços nem mines! Na verdade teriam tido mais visibilidade se tivessem reunido no sítio mais in do momento esta semana, pelo menos até à maré de Lua – A Praia Nova. Não teriam as mordomias de uma bebida servida à mesa, mas de certeza que teriam uma vista extraordinária com o acrescento de poderem ter ido de fato de banho para uma mergulhaça, a confraternização teria sido mais aberta e o radicalismo da ideia mais arrojado.
Há assuntos que, além de sérios demais, caso os queiram levar assim, têm de ser tratados nos locais próprios, até por uma questão de obrigar à vínculação da própria escola, na pessoa do seu director, a uma tomada de posição. Não é num qualquer bar da praia que o vão fazer de certeza absoluta, ainda para mais longe da vista e do coração do Professor Jorge Sousa.


Em última análise e em tom de remate deixem-me dizer que, por vezes, tomadas de posição radicais – dependendo da posição que se ocupa no seio de uma luta – no sentido de apoiar uma parte numa contenda, pode levar em último recurso a uma (auto)demissão. Em vez disso, fica-se muito bem calado à espera que passe a tempestade. À espera que passe a tormenta ficam, também, aqueles que com posições ambíguas dizem não concordar com a imposição da DREL e depois nada fazem para a contrariar porque têm a certeza que não adianta lutar.

 

A luta vale sempre a pena, seja ela feita de fato de banho numa praia qualquer, num bar com vista para o mar, ou no local mais apropriado para serem levados mais a sério. Lutem camaradas, lutem, porque sem luta as imposições tornam-se uma moda. Já dizem os 'Homens da Luta' - "Camaradas, pá... a luta é alegria!"


comentar
gargolado por westnelson, em 25.07.11 às 22:31 link do gargol | favorito

Com a medida de Assunção Cristas no seu ministério, denominada “Ar Cool”, já se nota a descida da factura da energia eléctrica. Daqui depreende-se que, em pleno verão, se toda a gente fosse para o trabalho em fato de banho não se perdia nada, ganhava-se ainda mais na poupança de energia e reduzia-se mais a pegada ecológica daquele ministério. Assim, não só os homens podiam colaborar ainda mais, uma vez que o alvo é as gravatas dos senhores, como também as senhoras, já de si mais libertas no que à indumentária toca, poderiam colaborar na redução da despesa pública daquele ministério. A Ministra só não tomou ainda essa medida porque, segundo se sabe, ela própria anda um pouco acanhada por se encontrar a fazer reclame à lixívia, ainda para mais agora que acumula 3 pastas e nem tempo tem para se coçar, quanto mais apanhar sol.

Por alturas da medida “Ar Cool”, a universidade Católica em Lisboa criou regras para funcionários, alunos e professores que vão no sentido inverso da redução da pegada ecológica(!) e descabidas para os tempos que correm. Não estou a dizer que podem ir de qualquer maneira, mas proibir as pessoas de se vestirem normalmente, como se daí viesse mal ao mundo e ainda por cima pede a todos para que classifiquem a maneira dos outros vestirem para se acharem no direito de os repreender caso não achem que estão dignos... o que é isto?! Ou seja, a hipocrisia chegou à universidade dos tempos modernos e quem for apanhado de calções, chinelos, t-shirt, fato de treino, mini-saias ou com decotes mais arrojados, estão a prevaricar na conduta exigida. Assim, passo a citar os três pontos do documento apresentado e datado de 30 de Junho de 2011:

  • 1. Todos os funcionários, professores e alunos se devem apresentar na universidade com formas de vestuário dignas e convenientes, adequadas ao local de trabalho próprio de uma universidade e de uma instituição da igreja;
  • 2. Modos de trajar e formas de apresentação próprios de locais de lazer e de desporto não são adequados na universidade;
  • 3. Todos os responsáveis pela salvaguarda do ambiente e da imagem da universidade nas suas instalações e no espaço do campus universitário, devendo chamar a atenção dos que se apresentarem de maneira imprópria.


O melhor é começarem a pensar na transformação da Universidade católica num Seminário e, já agora, pensem também num anexo para um Convento.
Enquanto isso, o gabinete de cristas, enquanto elas mais levantadas estiverem, melhor! Só é pena mesmo, a Srª. Ministra não poder ir de fato de banho sem levar o carimbo de “PUB”!



comentar
gargolado por westnelson, em 21.07.11 às 01:23 link do gargol | favorito
comunicado do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas da Nazaré

comentar
gargolado por westnelson, em 20.07.11 às 03:55 link do gargol | favorito

Mercado não quer veado - tudo bem explicado com a ajuda de alguns links adicionais. Mas, há sempre uma solução, neste caso duas como apontou o Carlos Filipe na edição de Domingo passado do "Vai Ó Mar Tonhe!": Aproveita-se a população em excesso daqueles animais para se fazer a reconstituição do milagre de Nª Srª da Nazaré nos fins de semana de Agosto, com o pessoal cá em baixo a bater palmas e tal; e alugar alguns indivíduos daquela população para puxar o trenó do Pai Natal da vila Natal em Óbidos. Assim, não só diminuía a população em excesso como colocavam a trabalhar alguns veados para a despesa do estábulo.

 

 

Será que a carne de veado é saborosa?!


comentar
gargolado por westnelson, em 18.07.11 às 15:11 link do gargol | favorito

Vai Ó Mar Tonhe!


A Companha do Tonhe, agora que está prestes a terminar a segunda série de fainas mas já com a terceira série à vista, resolveu construir uma nova Cabana para guardar os apetrechos da pescaria. Pode fazer uma visita à nova Cabana, pois, com certeza irá ser bem recebido. A morada é em vaiomartonhe.blogspot.com


comentar
gargolado por westnelson, em 16.07.11 às 10:33 link do gargol | favorito

Foto: Associeted Press


comentar
gargolado por westnelson, em 15.07.11 às 03:11 link do gargol | favorito

Depois de ler a carta de renuncia de Fernando Nobre para o cargo de deputado pelo PSD, para o qual foi eleito como cabeça de Lista por Lisboa, e depois de falhar copiosamente duas tentativas para Presidente da assembleia da República, fiquei com a leve sensação se poderia traduzir aquilo tudo com um lacónico – 'Vão todos para a puta que vos pariu, sua piolhada duma figa!'


comentar
gargolado por westnelson, em 13.07.11 às 23:00 link do gargol | favorito

Apesar de lá terem estado vários anos – os sinais de trânsito que proibiam o estacionamento –, digam lá se não era embirraria das autoridades suportada pela autarquia, ninguém poder estacionar na marginal norte da Nazaré, especialmente durante o Verão. Ainda para mais com a falta de espaço para arrumar o carro, o que muitas vezes acontecia, especialmente ao fim de semana. Agora que é a pagar já se pode! Nada mais mudou além desse “pormenor”, nada foi alterado, nem sequer o passeio ou mesmo a estrada.

Só para salientar que agora as cargas e descargas se fazem em segunda fila. Está tudo bem, quando está tudo mal... e viva o Verão!




comentar
gargolado por westnelson, em 13.07.11 às 21:22 link do gargol | favorito

E pronto, foi uma questão de dias. Começaram as primeiras queixinhas com o tal "Desvio colossal". Passos passou um autentico atestado de incompetência aos analistas da troika que observaram e fiscalizaram as contas da República Portuguesa antes de efectivarem a ajuda o resgate financeiro de Portugal.




comentar
gargolado por westnelson, em 09.07.11 às 23:32 link do gargol | favorito


Fotos: Nazaré - Sábado, 9 de Julho de 2011 às 21h30 aproximadamente

E pronto, lá contínua o Verão nosso de cada ano sem que alguém se digne a mexer uma palha que seja para modificar uma situação há muito prometida ser resolvida. Toda a gente sabe que a problemática do lixo não é de fácil resolução, mas, também, não tem havido boa vontade para solucionar o problema, o que admira, pois com tanta "cabéca" na autarquia não há por aí uma alminha que veja com olhos de ver o que se está a passar. Há muitos casos destes na Nazaré mas, pelo menos, tentem resolver as situações de "aterros sanitários de geração espontânea" nas zonas mais turísticas da vila como por exemplo ao longo da marginal e junto à gare inferior do elevador na Travessa do elevador.
Eu não sei, mas com o desinteresse que há em resolver este problema começo a desconfiar que para os lados da Av. Vieira Guimarães já estão a estudar a coisa como sendo um produto turístico de alto nível e como tal terá de ser explorado tal como está. Assim, sempre são mais umas fotozinhas da Nazaré que aparecem espalhadas por todo o mundo na internet, ou seja, nas redes sociais e nos blogues.




comentar
gargolado por westnelson, em 06.07.11 às 02:30 link do gargol | favorito

Já estão instaladas as máquinas de tickets - parquímetros - para o estacionamento pago numa parte importante da Nazaré mas com algum atraso em relação ao previstoAs novas zonas de estacionamento criadas pela CMN e que afinal - pasme-se - já lá estavam, só que agora são pagas, já podem render os eurozitos necessários para comprar lâmpadas para os candeeiros que estão em blackout por ordem da CMN por toda a marginal e esplanada, mas, com maior incidência na zona norte da marginal do lado de terra, onde não há uma lâmpada em plena posse das suas faculdades para o qual foi criada - iluminar. Deve ser por isso que há tanta mente ali para os lados da Avenida Vieira Guimarães a precisar de iluminação!

Afinal estamos a ir no bom caminho: Queres estacionar? Paga e não bufes! - Queres luz à noite? Leva uma lanterna de bolso!

E, isto para não falar nas autênticas sovilas lixeiras que se juntam em cada ponto dos vários tipos de recolha de lixo, mal construídos e quase sem manutenção - uma autêntica vergonha municipal sem resolução à vista, ou melhor, à vista de todos e a qualquer hora do dia com o sentido, adicional, do olfacto a funcionar mesmo que nós o tentemos ignorar - o odor é por vezes nauseabundo! É do vento suão - dizem alguns - que traz o agradável smell da ETAR junto à entrada sul da vila.

Para agravar, o vandalismo da noite nazarena como nunca antes se viu... quer dizer, ver não se vê, mas quem chega de manhã junto das suas viaturas e as vê com os 4 pneus estraçalhados e a pintura riscada, entre outros estragos e roubos, sente, e de que maneira, na carteira e na revolta, também perante a inoperância das autoridades. Bem, claro que não podem estar em todo o lado, mas... há prioridades que se têm de concretizar e rapidamente.

Para começo não está nada mal... assim vai o nosso Verão!




comentar
gargolado por westnelson, em 03.07.11 às 01:36 link do gargol | favorito

Na praia da Nazaré há histórias enroladas nas ondas e enredos desfiados nas memórias. Há vozes secas ao sol, cantares salgados pelos dias. Risos e danças de sete saias. Os repórteres Nuno Amaral e Mésicles Helin mergulharam neste mosaico de tons e captaram timbres, sobretudo no feminino.
in TSF e blog Fim da Rua


Linhas mestras

gargol@sapo.pt
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14

17
19
22
23

24
26
27
29
30

31


pesquisar no Gargol
 
subscrever feeds
gargoladas antigas