comentar
gargolado por Jose Monteiro, em 31.01.11 às 23:18 link do gargol | favorito
Na edição desta semana do Vai Ó Mar Tonhe[1], abordámos uma recente preocupação do executivo autárquico com o futuro do ensino no Externato D. Fuas Roupinho, veiculada por artigo[2] no site da Câmara Municipal.

 

Sendo temática em tudo relacionada com a "Estratégia Autárquica para o Conhecimento", vale a pena recordar uma abordagem (demasiado) sucinta que já tinha feito a este tema aqui no gargol.

 

Artigo original em inglês: "Far-fetched or just plain poorly written? Both, I think."[3]

 

Segue versão mais longa, com todas as variáveis descodificadas e em português:

 

Rebuscado ou simplesmente mal-escrito? Ambos, parece-me...

 

A citação é: "Quanto mais conhecedora, formada e informada for uma comunidade melhor estará do ponto de vista social e com maior vantagem competitiva actuará do ponto de vista económico, criando condições para maior apetência para conhecer mais."[4]

Digamos que é uma frase rebuscada:

Se aumentar o nivel de conhecimento da comunidade (knowledglablecommunity++) então aumentará a vantagem social (socialedge++) e aumentará também a vantagem económica (economicedge++).

Por outro lado ainda, temos que a soma das vantagens económicas com as vantagens sociais (socialedge . economicedge) implica (=>) um aumento do nivel de conhecimento da comunidade (knowledglablecommunity++).


 

Portanto, a gigantesca frase “Quanto mais conhecedora...para conhecer mais” traduz na realidade um ciclo infinito:

 



Uma frase que oferece um método infalível de obtenção de um nivel de conhecimento da comunidade infinito falha à partida pois omite dois dados essenciais:
  • o aumento do nível de conhecimento da comunidade implica um custo financeiro de investimento (€k++), seja escolas, formação, tecnologia, etc...
  • as vantagens económica e social trazem por si próprias uma receita para a comunidade (€e++)
Logo surgem varios cenarios...

O que acontece se as receitas para a comunidade (€e++) forem inferiores ao investimento necessário no nível de conhecimento da comunidade (€k++)?

Entraremos numa espiral financeira negativa que nos possa levar a 30 milhoes de passivo?

Só podemos interpretar a frase como rebuscada e especulativa.

Digamos que é uma frase mal escrita:

Tanto conteúdo numa única frase só pode ter desvantagens. Basta olharmos para o ultimo grupo de palavras “para maior apetência para conhecer mais” e já não soa bem.

Para piorar a situação, este ultimo grupo está acoplado a um outro grupo de palavras denso e confuso. Tudo numa só frase. Mau, se se deseja objectividade e legibilidade.

 

Conclusões

 

A publicação e divulgação de propaganda eleitoral de uma estratégia autárquica em áreas como a do conhecimento nao passa incólume. É demasiado importante para tal.

[1] - http://soundcloud.com/radionazarefm/12-vai-mar-tonhe-de-30-de-janeiro-de-2011

comentar
gargolado por westnelson, em 22.01.11 às 03:18 link do gargol | favorito

E o mote para o Carnaval da Nazaré 2011 - O Carnaval mais Nazareno de Portugal! - é:


"X’Ándar, X’Ósir, X’Óstar"


Agora toca a arranjar espaço no meio das letras das marchas que já estão feitas para encaixar esta preciocidade da linguística Nazarena. A tarefa não é fácil. Desejo-vos boa sorte.



comentar
gargolado por westnelson, em 19.01.11 às 12:25 link do gargol | favorito

Na 10ª edição do “Vai Ó Mar Tonhe!”, a uma semana das eleições presidenciais, como não podia deixar de ser teríamos de abordar esse tema – era o assunto agendado para o tema Nacional.
Mas, entretanto, teríamos de falar sobre o tema local. A "companha" teve algumas dificuldades em escolher o assunto para o tema local a tratar nesta edição. Surgiram algumas dúvidas entre: A mudança de sítio do posto de turismo do edifício a que estávamos habituados na marginal norte para o Centro Cultural da Nazaré na marginal sul; e, os safaris que em breve vamos assistir em plena vila da Nazaré. Os seus protagonistas serão os funcionários da Câmara Municipal designados para estas caçadas e os canídeos e felídeos que por aí se passeiam.
A companha optou pelo primeiro tema – Mudança do posto de turismo - , porque o documento para os safaris ainda não foi aprovado em reunião de câmara. Com a "combatividade" que hoje existe nas reuniões da câmara, prevê-se que o desfecho seja, como todos devem calcular, uma aprovação por unanimidade, a muito custo!

 

ProjectodeRegulamentoCanideos




comentar
gargolado por djs, em 16.01.11 às 19:18 link do gargol | favorito

Após um convite para participar no programa "Nazaré FM On-Line", da Rádio Nazaré, outro convite me foi lançado. O de fazer parte do Gargol (o qual, aqui confesso, já vinha acompanhando há algum tempo). É sempre mais "cómodo" ficarmos na retaguarda, no silêncio anónimo atrás do monitor. Mas, não gosto de dizer que não (talvez seja este um grande "defeito") e aceitei com alguma apreensão este desafio. Não prometo ser muito assídua, pelo menos não tanto como outros "gargoladores", mas...

E, já se sabe, as notícias do Museu Dr. Joaquim Manso por aqui passarão também a circular (por razões óbvias e porque espero que seja do interesse desta comunidade da blogosfera).


comentar
gargolado por f0fa, em 16.01.11 às 17:15 link do gargol | favorito

Bartoon in "Público" por Luís Afonso



Isso já deve ser feitio e não defeito... o submarino que está nas profundezas em frente à Nazaré, mesmo à beirinha do Grande "North Canyon", o canhão da Nazaré, apesar de ter sido afundado, não deixa de ser em pleno Atlântico e, não pode ser contornado, o facto de ser Alemão...!





Copyright Gargol 2013 | linhas mestras | gargol@sapo.pt

eXTReMe Tracker
Linhas mestras

gargol@sapo.pt
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
18
20
21

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar no Gargol
 
subscrever feeds
gargoladas antigas