comentar
gargolado por westnelson, em 10.08.13 às 16:20 link do gargol | | favorito



No império das aves raras
Quem não tem penas é Rei
Entre pegas e araras
Os patos bravos são Lei.



A terra dos patos bravos
Parece mais um vespeiro
Andam todos à bicada
Para chegar ao poleiro.

[Refrão]
Por sobre a terra
Por sobre o mar
O Grande Irmão zela por nós
A sua sombra
É protectora
Já vem dos egrégios avós.



Na terra dos papagaios
Quem não tem poleiro é pato
Andam todos à bicada
Só para ficar no retrato.



No reino das trepadoras
O papagaio é senhor
Mesmo até sem saber ler
Qualquer papagaio é doutor.


[Refrão] 

 

Voar mais alto que os outros
Esse era o sonho do galo
Roubar as asas ao Pégaso
E voar como um cavalo.



Mas o galo de ser galo
É ter o chão junto à barriga
Para chegar ao poleiro
Tem que usar de muita intriga.

 

[Refrão]

No reino dos voadores
Impera a grande anarquia
e a barata voadora
já tem lugar de chefia.



A passarada oprimida
só deseja que isto mude
Mas as aves de rapina
Cada vez têm mais saúde.

 

[Refrão]

As forças em parada desfilam junto à tribuna de honra, que é composta por 50 poleiros onde estão pousados os representantes das principais espécies ornitológicas, democraticamente nomeados pelo Marechal Avejão. Desfilam, neste momento, o Esquadrão Falcão e o Esquadrão Abutre, garantes da Paz, da Ordem, da Segurança e da Liberdade. À sua passagem, o Marechal Avejão ergue-se do seu poleiro e, estendendo a sua asa direita, saúda as tropas em sinal de respeito e gratidão.

comentar
gargolado por westnelson, em 15.03.13 às 13:29 link do gargol | | favorito

Depois de um independente que se julga ser mas que não o é, e com o rabo preso, nomeadamente a este último executivo, por ventura o pior dos últimos vinte anos de governação PSD, surge agora, um outro senhor da política local com muita culpa no cartório do registo predial das obras prometidas e da dívida da autarquia nazarena a querer, também ele, ser cabeça de lista para as autárquicas do próximo Outono. Peço desculpa pela gralha. Passo a explicar: Não é ele que quer formar uma lista à CMN, são “as muitas pessoas dos vários sectores da população Nazarena que o vão empurrando para tal situação”, para ele deveras incómoda, já se vê!

Resta saber, se essa lista for para a frente, como se vai chamar esse movimento político concorrente às autárquicas de 2013? Podia ser “Independentes II ou B”; ou, “PSD II ou B”; qualquer coisa neste sentido, um qualquer serviria, sendo que, de independentes nada têm, tendo como base a condição do cabeça de lista. Ser uma segunda equipa, ou mesmo uma equipa B do PSD, era bastante mais credível do ponto de vista ideológico do mentor do projecto político em causa. Mas, sabemos que, “se as pessoas fizerem muita força” e essa lista for avante, nada disto será minimamente possível. O que se lembrarão de fazer será algo do género: “Movimento Cívico Defensor dos Nazarenos”; ou, deixa ver, “Movimento dos Cidadãos Descontentes da Nazaré” – em ambos os casos MCDN. Ainda querem melhor? Arre chiça que são exigentes!

 

Mas, atenção que, seja qual for o nome do movimento que “a pedido de muitas famílias” querem levar o actual número dois deste desastroso executivo (ou será número três?) à candidatura como cabeça de lista, uma coisa é certa, nunca, mas nunca, mesmo, terá condições, tal como o “outro” independente, para assumir um claro corte com aquilo a que se pode chamar de políticas de continuidade apostadas na desgraça nazarena, tudo porque dela fizeram parte no passado, tudo porque a vossa assinatura e o vosso voto está metido em tudo o que levou a Nazaré a estar como está – com o recorde da maior onda surfada! – mas esta não foi na Praia do Norte, esta é a maior onda surfada mas do tamanho de mais de 50 milhões de euros levando a que cada munícipe do concelho e cada criança agora nascida e registada no cartório do registo civil da Nazaré tenham automaticamente de surfar uma onde de quase 4.000,00 €, se não for mesmo mais nesta altura em que já se fala em perto de 60 milhões de divida da autarquia Nazarena. Meus senhores, isto tem de acabar, Não chega já uma onda deste tamanho? Ainda querem um recorde maior? Para onde vamos? Sabem responder a isto?! A única mudança possível é o corte radical com o passado e para isso há uma solução, um projecto que não o da continuidade.

 

Bem-vindos à Nazaré!


comentar
gargolado por westnelson, em 13.03.13 às 04:13 link do gargol | | favorito

O suposto independente – que é tudo menos isso, antes pelo contrário, que, a par de outros já passou praticamente por todos os quadrantes, de norte a sul, de cima a baixo, e até da esquerda p'ra direita – está a pedir a quem vai ao seu “estabelecimento comercial” preencher as papeladas “vindas directamente da Tailândia” para entregar ao fisco – nomeadamente aos “Tonhe  Tábuas”, às “Mari’s Engrácias” e a outras pessoas que não pescam nada daquilo – para assinarem uma folha onde já constam alguns nomes (?) em como se comprometem (?) a pôr a cruzinha à frente da sua “fetegrafia” em Outubro. Em troca não leva absolutamente nada, nem sequer “um par de botas”, por preencher os formulários. Sabem como se chama a isto? Chama-se descaramento, ou, comprar votos com registo e aviso de recepção. Aí cagão! (já o Raul dizia em “tempes”). Na realidade isto vale o que vale, ou seja, nada. Apenas compromete as pessoas que, por algum motivo, se sintam mais vulneráveis (e que não tenham tal intenção) perante os outros em caso de divulgação pública dessa lista. Mas, em todo o caso, se o “independentezinhe” resolver jogar baixo e divulgar a lista publicamente, as pessoas que lá estão e que, mesmo assim, não se revêem com a sua maneira de fazer politiquice, podem sempre alegar que, fizeram a vontade ao homem só para ele se sentir importante e, acima de tudo, para obterem os formulários prontinhos a entregar nas finanças a custo zero – Haja paciência para estas politiquices da treta!

 

“Independentezinhe” – Termo nazareno para designar pessoas que conseguem, ou melhor, conseguiam... ou conseguiram (em tempos), “escrever” com as duas mãos ao mesmo tempo e, ainda por cima, coisas diferentes sem que os outros se apercebessem logo à primeira. Tudo isso levados pelos caciques instalados, os do costume, claro, a troco daquilo que não sabemos descrever por ser demasiado complexo para mentes normais.

 

“Mentes normais” – pessoas que pensam por elas próprias e que, acima de tudo, além de não serem facilmente influenciáveis, não são corruptas.

 

Tudo o que atrás está escrito partiu de uma mente normal tendo ainda a salientar que, toda e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência, tratando-se apenas de um texto escrito para divertimento de quem o lê.

Já agora, conhecem aquele gesto à hang-loose? Façam-no agora à frente do nariz!


comentar
gargolado por westnelson, em 01.02.13 às 02:37 link do gargol | | favorito

De repente, alguém me fez levar a pensar que aquilo que poderia ter sido uma marcha (de intervenção) do Carnaval da Nazaré, embora tenha sido feita sem a pretensão de o ser, “Em 2013 sai tode tese!” não mais é que o Auto da Barca do Inferno revisitada – ora aí está uma ideia que nunca me tinha ocorrido e que serviria perfeitamente para o título desta espécie de letra aspirante a marcha, com as devidas distâncias, evidentemente.


Tão-somente, tem a característica de ser a nossa barca velha a cair de podre, meio a navegar, meio de esguelha, comandada por um arrais obstinado e de ideias fixas que se ilude a ele próprio com aquilo que, eventualmente, acha que é melhor para os seus passageiros, nem que para isso se torne ele próprio um autista, e passe metade do tempo a fazer politiquice com os elementos da sua tripulação.


Não me admiro, portanto, que este pequenino “auto da barca do (nosso) inferno”, muito por culpa dos muitos oportunismos que aconteceram, para não lhes chamar outra coisa qualquer, não tenha virado a meio da viagem uma “Revolta na Bounty”.

 

Mas, atenção que, até os grandes navios que sobrevivem a revoltas, mais tarde ou mais cedo, mesmo que já não estejam ao serviço da coroa, como era o caso, ou são abatidos ou vão ao fundo!

 

 

Auto da Barca do Inferno

Gil Vicente [1.PDF] [2.Wiki]


comentar
gargolado por westnelson, em 31.01.13 às 04:16 link do gargol | | favorito

«A c’missão de Carnaval ‘tá desguestosa.»
[Todes em voz alta:] «– Q’al comissão, catane?»
«Se sóbessem qu'o MácNàmára voltasse a tempe d’ir nos Bcicletas, ao balhe de másc’ras do Casine, ao San Brás e ao Carnaval, na vez do Alex, tinhem esc’lhidi-o pa Rê do Entrude – É à Mar-Alte! Bummmba! – É qu’táva previste só vir p’ás festas, a tempe da campanha!»


«Sabe-se de fonte segura – foi arranjada a s’mana passada com cimente, cal e arêa do p’nhal, mas a áuga ainda na foi aberta! – qu’era esse o deseje e a primêra escolha das entidades da rua d’Avenida pó rêzinhe!»

 

«E agora, só pa terminar as netiças do Carnaval, segunde... e tercêres, a mesma fontinha, segura mas s’quinha, o telesférico foi o transporte esc’lhide pús Rês do Entrude deste ane!»


«Texte escrite ao abrigue do acorde urtográfique entre a Praia, o Sít e a Padarnêra.»

p.s. Se não conseguiu decifrar algumas das palavras utilizadas no texto acima escrito, por favor, faça o download do respectivo dicionário online para o seu browser. Obrigado.


comentar
gargolado por westnelson, em 30.01.13 às 14:47 link do gargol | | favorito

Avisam-se todos os senhores automobilistas que a estrada para o farol encontra-se congestionada. Aconselham-se a deixarem as suas viaturas no parque de estacionamento junto ao campo de futebol da Nazaré, nos parques do Sítio ou a apanhar os transportes públicos, nomeadamente o Comboio Turístico da ACISN ou a Urbana que, de hora a hora, “dropa” aquela espécie de estrada até ao farol, para que possam ver com todo o conforto e despreocupação o grande GMAC apanhar as maiores ondas do mundo.

 

Se forem pelo lado do Parque Atlântico aproveitem para ver as “ruínas do CAR Surf” recentemente construídas, isto, enquanto não o enlatam à imagem de outras conservas seculares. De notar que, para isso, terão de levar uma moedinha de 1€ para o bilhete da entrada que, dará direito, também, ao acesso à exposição sobre as ondas da Praia do Norte, o Forno D'Orca e, fauna e flora circundantes.

Devem deixar aí as viaturas caso desçam até à Praia do Norte para ver o aparato aquático ou então façam-se acompanhar de um todo-o-terreno, cavalo, burro, bicicleta TT ou às costas de algum otário para ver se não ficam a meio do caminho a empachar quem aí se desloque.

 

Informa-se ainda que, o estacionamento junto do farol encontra-se condicionado, portanto, à pinha e neste momento já o grande arrais nazareno fez aprovar “sozinho por unanimidade em tempo recorde” a implantação de parquímetros – adquiridos em quinta mão por ajuste directo para pagar ao fornecedor daqui a 2500 dias –, para angariação de verbas para o projecto North Canyon. Esta decisão foi ratificada em assembleia municipal extraordinária marcada com carácter de urgência e com tema único em discussão, com os votos a favor da bancada da maioria mais o voto do presidente da junta de Famalicão e com os votos contra da bancada do PS, CDU e BE – tudo na mesma manhã! Sabe-se ainda que, enquanto a multidão está entretida a ver o aparato na água, a mão-de-obra disponível nos vários serviços da CMN, incluindo a Nazaré Qualifica, está neste momento a instalar um parquímetro por viatura estacionada no local. A PSP já fez deslocar para o local um batalhão de escriturários fardados de bloco em punho para começar de imediato a passar as respectivas coimas por falta de pagamento do estacionamento. Fiquem os senhores automobilistas descansados que, estes agentes vão munidos de maquinaria própria para que possam cumprir a lei das finanças e entregar aos que pagarem no local as multas de estacionamento uma factura válida para incluir no IRS.

 

Já estava tudo estudado, afirma o responsável da autarquia pelo trânsito, placas, sinalética, alvarás e afins. Numa primeira fase ganha o estado com as coimas, numa segunda fase, mas imediata, ganha a NQ com o pagamento do estacionamento via moedinha, numa terceira fase, está garantido, as ruínas do CAR Surf serão concluídas com essas verbas adquiridas e, ainda, numa quarta fase, o Farol levará uma intervenção de restauro – se o dinheiro já não chegar para muito faz-se um reboco digno de um Pedreiro de 1ª com direito a dois trolhas para ajudar nas fachadas que necessitarem de intervenção.

Assim o Windguru nos ajude! Viva o grande GMAC!


comentar
gargolado por westnelson, em 23.01.13 às 23:53 link do gargol | | favorito

Informam-se todos os residentes na Nazaré que está a pagamento o IRS sobre a pedra do Guilhim até ao fim do Carnaval naquilo que é o seguimento da deliberação imposta pelo governo com o apoio do executivo camarário com os votos a favor do Senhor Presidente por unanimidade.

 

A receita apurada, estimada em cerca de 25% do buraco financeiro do amarelo da Rua d’Avenida – e dito assim até parece nome de um eléctrico das Lisboas – é para tapá-lo a toque de caixa, à pazada e à recoveirada  havia de ser! Serve o mesmo, ainda, naquilo que for o remanescente da aplicação no buraquinho, para “engraxar” a companhia de bebidas alcoólicas, da qual faz parte o famoso whisky “JB 20 anos”, a instalar-se na ALE (Área de localização empresarial) do Valado dos Frades na Nazaré, obra já concluída tendo em conta as contas aos dias de execução que vêm no site da autarquia.

 

IRS, Pedra do Guilhim, Quarta-feira de cinzas… pois... não se esqueçam!

 





Copyright Gargol 2013 | linhas mestras | gargol@sapo.pt

eXTReMe Tracker






Linhas mestras

gargol@sapo.pt
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


pesquisar no Gargol
 
.
gargoladas antigas