comentar
gargolado por westnelson, em 10.08.13 às 16:20 link do gargol | | favorito



No império das aves raras
Quem não tem penas é Rei
Entre pegas e araras
Os patos bravos são Lei.



A terra dos patos bravos
Parece mais um vespeiro
Andam todos à bicada
Para chegar ao poleiro.

[Refrão]
Por sobre a terra
Por sobre o mar
O Grande Irmão zela por nós
A sua sombra
É protectora
Já vem dos egrégios avós.



Na terra dos papagaios
Quem não tem poleiro é pato
Andam todos à bicada
Só para ficar no retrato.



No reino das trepadoras
O papagaio é senhor
Mesmo até sem saber ler
Qualquer papagaio é doutor.


[Refrão] 

 

Voar mais alto que os outros
Esse era o sonho do galo
Roubar as asas ao Pégaso
E voar como um cavalo.



Mas o galo de ser galo
É ter o chão junto à barriga
Para chegar ao poleiro
Tem que usar de muita intriga.

 

[Refrão]

No reino dos voadores
Impera a grande anarquia
e a barata voadora
já tem lugar de chefia.



A passarada oprimida
só deseja que isto mude
Mas as aves de rapina
Cada vez têm mais saúde.

 

[Refrão]

As forças em parada desfilam junto à tribuna de honra, que é composta por 50 poleiros onde estão pousados os representantes das principais espécies ornitológicas, democraticamente nomeados pelo Marechal Avejão. Desfilam, neste momento, o Esquadrão Falcão e o Esquadrão Abutre, garantes da Paz, da Ordem, da Segurança e da Liberdade. À sua passagem, o Marechal Avejão ergue-se do seu poleiro e, estendendo a sua asa direita, saúda as tropas em sinal de respeito e gratidão.

comentar
gargolado por westnelson, em 01.02.13 às 02:37 link do gargol | | favorito

De repente, alguém me fez levar a pensar que aquilo que poderia ter sido uma marcha (de intervenção) do Carnaval da Nazaré, embora tenha sido feita sem a pretensão de o ser, “Em 2013 sai tode tese!” não mais é que o Auto da Barca do Inferno revisitada – ora aí está uma ideia que nunca me tinha ocorrido e que serviria perfeitamente para o título desta espécie de letra aspirante a marcha, com as devidas distâncias, evidentemente.


Tão-somente, tem a característica de ser a nossa barca velha a cair de podre, meio a navegar, meio de esguelha, comandada por um arrais obstinado e de ideias fixas que se ilude a ele próprio com aquilo que, eventualmente, acha que é melhor para os seus passageiros, nem que para isso se torne ele próprio um autista, e passe metade do tempo a fazer politiquice com os elementos da sua tripulação.


Não me admiro, portanto, que este pequenino “auto da barca do (nosso) inferno”, muito por culpa dos muitos oportunismos que aconteceram, para não lhes chamar outra coisa qualquer, não tenha virado a meio da viagem uma “Revolta na Bounty”.

 

Mas, atenção que, até os grandes navios que sobrevivem a revoltas, mais tarde ou mais cedo, mesmo que já não estejam ao serviço da coroa, como era o caso, ou são abatidos ou vão ao fundo!

 

 

Auto da Barca do Inferno

Gil Vicente [1.PDF] [2.Wiki]


comentar
gargolado por westnelson, em 31.01.13 às 04:16 link do gargol | | favorito

«A c’missão de Carnaval ‘tá desguestosa.»
[Todes em voz alta:] «– Q’al comissão, catane?»
«Se sóbessem qu'o MácNàmára voltasse a tempe d’ir nos Bcicletas, ao balhe de másc’ras do Casine, ao San Brás e ao Carnaval, na vez do Alex, tinhem esc’lhidi-o pa Rê do Entrude – É à Mar-Alte! Bummmba! – É qu’táva previste só vir p’ás festas, a tempe da campanha!»


«Sabe-se de fonte segura – foi arranjada a s’mana passada com cimente, cal e arêa do p’nhal, mas a áuga ainda na foi aberta! – qu’era esse o deseje e a primêra escolha das entidades da rua d’Avenida pó rêzinhe!»

 

«E agora, só pa terminar as netiças do Carnaval, segunde... e tercêres, a mesma fontinha, segura mas s’quinha, o telesférico foi o transporte esc’lhide pús Rês do Entrude deste ane!»


«Texte escrite ao abrigue do acorde urtográfique entre a Praia, o Sít e a Padarnêra.»

p.s. Se não conseguiu decifrar algumas das palavras utilizadas no texto acima escrito, por favor, faça o download do respectivo dicionário online para o seu browser. Obrigado.


comentar
gargolado por westnelson, em 30.01.13 às 14:47 link do gargol | | favorito

Avisam-se todos os senhores automobilistas que a estrada para o farol encontra-se congestionada. Aconselham-se a deixarem as suas viaturas no parque de estacionamento junto ao campo de futebol da Nazaré, nos parques do Sítio ou a apanhar os transportes públicos, nomeadamente o Comboio Turístico da ACISN ou a Urbana que, de hora a hora, “dropa” aquela espécie de estrada até ao farol, para que possam ver com todo o conforto e despreocupação o grande GMAC apanhar as maiores ondas do mundo.

 

Se forem pelo lado do Parque Atlântico aproveitem para ver as “ruínas do CAR Surf” recentemente construídas, isto, enquanto não o enlatam à imagem de outras conservas seculares. De notar que, para isso, terão de levar uma moedinha de 1€ para o bilhete da entrada que, dará direito, também, ao acesso à exposição sobre as ondas da Praia do Norte, o Forno D'Orca e, fauna e flora circundantes.

Devem deixar aí as viaturas caso desçam até à Praia do Norte para ver o aparato aquático ou então façam-se acompanhar de um todo-o-terreno, cavalo, burro, bicicleta TT ou às costas de algum otário para ver se não ficam a meio do caminho a empachar quem aí se desloque.

 

Informa-se ainda que, o estacionamento junto do farol encontra-se condicionado, portanto, à pinha e neste momento já o grande arrais nazareno fez aprovar “sozinho por unanimidade em tempo recorde” a implantação de parquímetros – adquiridos em quinta mão por ajuste directo para pagar ao fornecedor daqui a 2500 dias –, para angariação de verbas para o projecto North Canyon. Esta decisão foi ratificada em assembleia municipal extraordinária marcada com carácter de urgência e com tema único em discussão, com os votos a favor da bancada da maioria mais o voto do presidente da junta de Famalicão e com os votos contra da bancada do PS, CDU e BE – tudo na mesma manhã! Sabe-se ainda que, enquanto a multidão está entretida a ver o aparato na água, a mão-de-obra disponível nos vários serviços da CMN, incluindo a Nazaré Qualifica, está neste momento a instalar um parquímetro por viatura estacionada no local. A PSP já fez deslocar para o local um batalhão de escriturários fardados de bloco em punho para começar de imediato a passar as respectivas coimas por falta de pagamento do estacionamento. Fiquem os senhores automobilistas descansados que, estes agentes vão munidos de maquinaria própria para que possam cumprir a lei das finanças e entregar aos que pagarem no local as multas de estacionamento uma factura válida para incluir no IRS.

 

Já estava tudo estudado, afirma o responsável da autarquia pelo trânsito, placas, sinalética, alvarás e afins. Numa primeira fase ganha o estado com as coimas, numa segunda fase, mas imediata, ganha a NQ com o pagamento do estacionamento via moedinha, numa terceira fase, está garantido, as ruínas do CAR Surf serão concluídas com essas verbas adquiridas e, ainda, numa quarta fase, o Farol levará uma intervenção de restauro – se o dinheiro já não chegar para muito faz-se um reboco digno de um Pedreiro de 1ª com direito a dois trolhas para ajudar nas fachadas que necessitarem de intervenção.

Assim o Windguru nos ajude! Viva o grande GMAC!


comentar
gargolado por westnelson, em 23.01.13 às 23:53 link do gargol | | favorito

Informam-se todos os residentes na Nazaré que está a pagamento o IRS sobre a pedra do Guilhim até ao fim do Carnaval naquilo que é o seguimento da deliberação imposta pelo governo com o apoio do executivo camarário com os votos a favor do Senhor Presidente por unanimidade.

 

A receita apurada, estimada em cerca de 25% do buraco financeiro do amarelo da Rua d’Avenida – e dito assim até parece nome de um eléctrico das Lisboas – é para tapá-lo a toque de caixa, à pazada e à recoveirada  havia de ser! Serve o mesmo, ainda, naquilo que for o remanescente da aplicação no buraquinho, para “engraxar” a companhia de bebidas alcoólicas, da qual faz parte o famoso whisky “JB 20 anos”, a instalar-se na ALE (Área de localização empresarial) do Valado dos Frades na Nazaré, obra já concluída tendo em conta as contas aos dias de execução que vêm no site da autarquia.

 

IRS, Pedra do Guilhim, Quarta-feira de cinzas… pois... não se esqueçam!

 


comentar
gargolado por westnelson, em 10.01.13 às 00:40 link do gargol | | favorito

Agora que decorre o último ano em que o actual arrais está aos comandos da velha barca que vai metendo água por todos os lados, convocamos os nossos amigos a completarem as frases como se vestissem a sua pele durante esta última viagem. Pelo menos nós pensamos que seja a última, mas, nunca se sabe!

As peças do xadrez lá se vão dispondo para a batalha, podendo trazer, ainda, muitas novidades e algumas jogadas menos esperadas.
Assim, e nos entretantos, convidamo-lo... sim você aí desse lado, que agora está a ler estas palavras, a completar as 3 frases como se estivesse agarrado ao leme desta barca meio afundada.



1.Este meu último ano à frente da autarquia...

1.1. Vai superar as expectativas.
1.2. Já não posso ver a câmara à frente.
1.3. É demasiada areia para a minha camioneta.
1.4. Vai ser um sucesso à vista de todos.
1.5. Meu Deus, ainda falta tanto!?
1.6. Estou metido numa camisa de 11 varas!
1.7. Vou aferir a minha qualidade de vendedor ambulante, acho mesmo que tenho o futuro assegurado - Tirei um curso de feirante, como tal, vou treinar vendendo as águas, os lixos, estacionamentos, e, quiçá, a própria CM – vou vender também a gestão do parque subterrâneo da marginal!



2. (N)A minha gestão...

2.1. Está pejada de más decisões.
2.2. Cometi erros, mas já os reparei.
2.3. Tem sido perfeita, sou uma espécie de Mourinho das autarquias.
2.4. Se fosse a exame dava para dispensar à oral.
2.5. É boa porque tem deixado a oposição fula.
2.6. Fui um artista, um verdadeiro mágico - consegui transformar a oposição, e tornar as minhas obras invisíveis.



3. O Teleférico entre a Praia e a Pederneira...

3.1. Vai ficar pronto a tempo da 4ª edição do Zon North Canyon!
3.2. Começa a ser construído após a colocação dos taipais e contentores por alturas da campanha eleitoral!
3.3. É essencial para o transporte dos utentes para o hospital Israelita!
3.4. Começa a ser construído depois da autarquia adquirir os direitos do espaço aéreo da zona com as verbas que havemos de receber do PAEL.
3.5. Uma vez que o site da autarquia o dá como “em construção” não sei como ainda duvidam disso mesmo!
3.6. Essencial para a criação de 13.000 novos postos de trabalho, e para aqueles que vão ser despedidos das empresas municipais!


comentar
gargolado por westnelson, em 11.09.11 às 02:32 link do gargol | | favorito

A CMN está a pensar seriamente em colocar uma máquina de tickets de estacionamento junto ao cruzamento que vai para a lagoa do Valado bem perto do monte de S. Brás. São tantas as viaturas ali a parar durante o dia que a própria GNR já equaciona o envio para o local de uma brigada de militares naquele período para aligeirar do trânsito e verificação da legalidade do estacionamento de cada veículo . Como não há verba para adquirir à Emel mais uma velharia, a Nazaré Qualifica já anda a tratar de verificar qual a zona do estacionamento na vila que não deu lucro. Assim, a velharia será transferida da zona apurada para o monte de S. Brás. Só não se sabe ainda se uma máquina vai chegar e se por ventura estará dentro da legalidade portuguesa taxar também as ofertas lúdicas made in amarica do Sul, na sua maioria, que para ali vão prestar serviço à comunidade tal como fez recentemente uma edilidade local numa cidade de um país do norte da Europa. Legalizava-se a actividade por meio de um pagamento de uma taxa horária, também ela, controlada por meio de tickets colocados nos airbags por detrás dos pára-brisas!


comentar
gargolado por westnelson, em 20.07.11 às 03:55 link do gargol | | favorito

Mercado não quer veado - tudo bem explicado com a ajuda de alguns links adicionais. Mas, há sempre uma solução, neste caso duas como apontou o Carlos Filipe na edição de Domingo passado do "Vai Ó Mar Tonhe!": Aproveita-se a população em excesso daqueles animais para se fazer a reconstituição do milagre de Nª Srª da Nazaré nos fins de semana de Agosto, com o pessoal cá em baixo a bater palmas e tal; e alugar alguns indivíduos daquela população para puxar o trenó do Pai Natal da vila Natal em Óbidos. Assim, não só diminuía a população em excesso como colocavam a trabalhar alguns veados para a despesa do estábulo.

 

 

Será que a carne de veado é saborosa?!


comentar
gargolado por f0fa, em 16.01.11 às 17:15 link do gargol | | favorito

Bartoon in "Público" por Luís Afonso



Isso já deve ser feitio e não defeito... o submarino que está nas profundezas em frente à Nazaré, mesmo à beirinha do Grande "North Canyon", o canhão da Nazaré, apesar de ter sido afundado, não deixa de ser em pleno Atlântico e, não pode ser contornado, o facto de ser Alemão...!


comentar
gargolado por westnelson, em 25.05.10 às 21:11 link do gargol | | favorito

Há dias numa conversa com amigos de infância demos por nós a falar sobre alguns mitos que nos foram passados verbalmente pelos miúdos mais velhos. Entre alguns destes mitos aquele que achei mais curioso foi o mito urbano que não sei se é só desta zona do país ou mesmo só da Nazaré, muito popular entre os miúdos, o qual referência as vendedoras de tremoços, pevides e afins como umas mijonas de primeira ordem. Este mito diz que a vendedora para prolongar o aspecto vendável dos tremoços urinava para cima deles, fazendo-o várias vezes, como se estivessem a trocar as águas ao referido produto, deixando-o assim em perfeito estado de conservação.

Este mito não foi confirmado por nenhuma das vendedoras com quem falei, mas riam-se muito sempre que lhes falava neste mito urbano... de todas só uma me quis dar com o pau que usa para afugentar as pombas e as gaivotas que lhe querem picar o produto!







Copyright Gargol 2013 | linhas mestras | gargol@sapo.pt

eXTReMe Tracker






Linhas mestras

gargol@sapo.pt
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


pesquisar no Gargol
 
subscrever feeds
.
gargoladas antigas