comentar
gargolado por westnelson, em 29.04.14 às 02:39 link do gargol | | favorito

Quer se queira, quer não, quem for desempenhar um papel num organismo de gestão pública, seja por meio de eleição, seja por meio de contrato ou promoção, tem de estar preparado para algumas situações que são certas, aliás, mais que certas. É importante ter presente que, nunca se vai poder agradar a Gregos e a Troianos. Em relação ao trabalho desenvolvido, vai sempre haver criticas negativas, umas mais justas que outras, e outras, por ventura, injustas, ou melhor, completamente injustas. Criticas justas, ou de modo a influenciar o trabalho de forma positiva, essas são mais raras. A própria opinião de cada um, em alguns casos, é condicionada pela relação pessoal que têm, ou tiveram com quem toma decisões, mas, na grande maioria de nós, a análise recai sobre o trabalho desenvolvido nesses organismos, e, consideramo-lo positivo ou negativo em função da opinião pré-formatada que cada um tem a nível político, ou se o resultado do trabalho nos atingir de forma positiva ou negativa, sendo que, logicamente, uma coisa negativa para uns pode ser positiva para outros, isto de um modo particular, já que em democracia as decisões têm de ser tomadas tendo em conta a maioria, o bem público, aquilo que favorece de um modo geral a população – tudo analisado à luz da realidade e dos condicionalismos próprios da gestão da coisa pública.

 

Contra as más intenções – aquilo a que se costuma chamar de “bota abaixo” –, aí não há nada a fazer porque as formatações dos pensamentos são blindadas e, de certa forma, condicionadas por “estranhos factores”, mesmo que sejam atingidos individualmente de forma positiva pelo trabalho desenvolvido na gestão pública – são aqueles que nem o pescoço se dão ao trabalho de mexer e para os quais apenas interessa desacreditar o trabalho feito, bem ou mal não importa, porque na sua opinião é sempre um mau trabalho mesmo que no seu âmago, sob a fraca luz da sua muda sensatez, possam reconhecer o contrário.

 

Enquanto isso... os cães lá vão ladrando enquanto a caravana passa. De certa forma, isto acontece tanta vez que os cães das quintas já nascem formatados para ladrar à caravana que passa, sem saberem exactamente porquê! O que vale é que, cão que ladra não morde. Fia-te!

E, Já agora mais um ditado popular – Roma e Pavia não se fizeram num dia... ainda para mais sem recursos – que outros depositaram, desviaram ou extraviaram para parte incerta. A não ser que [esses recursos] estejam debaixo do velho e amorfo colchão da cama construída ao longo de vinte anos de desgovernação.

 

E para terminar só mais um ditado popular a aplicar, sabem quando? Adivinhem! – Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele!


comentar
gargolado por westnelson, em 09.03.14 às 17:53 link do gargol | | favorito

A crítica é salutar quando é feita de modo construtiva, aliás, ela é necessária. Contudo, não posso deixar de salientar que há munícipes na Nazaré que deviam libertar-se dos seus medos e deixar que o executivo faça o seu trabalho sem a pressão exercida sobre ele de um modo que se poderá dizer exagerada e de bota abaixo como se tivesse sido esta equipa da CMN a praticar todas as políticas e “medidas de ordem técnica” (para não dizer outras coisas), que outros praticaram durante vinte anos. A pressão neste executivo chega a ser maior que na liderança de JB ao longo de cinco mandatos. Esta pequena parte da população nazarena sofre de um problema que não a deixa pensar, ver mais além e para piorar a situação, nem sequer conseguem mexer o pescoço, já outros, uma parte substancialmente maior, sofre de pistantrofobia, e, apesar de darem o benefício da dúvida ao novo executivo, continuam a fazer pressão por medo da má experiência que tiveram no passado recente com os executivos liderados por JB. Mesmo assim, apoiam o novo executivo.

 

          Espero que tenham aproveitado bem o Carnaval e se tenham libertado dos maus espíritos que os apoquentam. Deixem de pressionar e trabalhar quem quer trabalhar para tirar a Nazaré do marasmo. O Novo executivo não está a trabalhar para mais do mesmo, tem o compromisso de fazer diferente e colocar a Nazaré no merecido lugar – o lugar que lhe foi retirado por uma governação desastrosa que levou a Nazaré (quase) à ruína – um dos municípios com piores resultados no país, onde para pagar uma simples factura, demorava mais de dois mil dias, onde a despesa, não se sabe com o quê, porque não há obra feita, superou em muito as receitas com agravamentos de ano para ano até se chegar à astronómica dívida, que, a auditoria financeira há-de revelar ao certo. Se tem continuado como estava, onde é que iríamos parar (?) – provavelmente isto inclinaria para o lado das terras de Cister. Mas, com tais defeitos adquiridos, sabe-se lá se nos queriam. Outra opção era irmos fundear para as bóias já que as Berlengas ou mesmo os Farilhões são reserva natural e já têm dono.

 

          Agora, há que parar a marcha negativa e, sabe-se que,  pouco mais de quatro meses é muito pouco tempo para compensar tão grande trabalho negativo ou na melhor das intenções, para tão grande inércia. Mas o trabalho está a ser feito, não só pela câmara como pelo esforço das juntas de freguesia do concelho da Nazaré. E, depois de parada a máquina com produção negativa, há que estabilizá-la e dar-lhe o impulso no sentido correcto para que a recuperação se dê a todos os níveis – económico, social, mas, também, ao nível paisagístico e arquitectónico. Sabe-se que, se numa destruição de vinte anos onde há muito por fazer, haverá, com certeza, aspectos que bem trabalhados e com alguma imaginação são quase de imediato recuperáveis – assim haja algum dinheiro, que é coisa que não abunda -, também se sabe que, haverá males quase irremediáveis ou que levarão anos a fio para recuperar ao nível de todos os aspectos atrás referidos.

 

          Só espero que, a auditoria, que em breve terá o seu início, além de dar conta da real situação financeira da autarquia Nazarena e dos atentados contra ela feitos ao longo de duas décadas (a auditoria abrange apenas os dois últimos mandatos), dê conta, também, de uma base de sustentação real para que, quem praticou tais actos contra o património e população do Concelho da Nazaré, possam ser responsabilizados, doa a quem doer.


comentar
gargolado por westnelson, em 13.02.14 às 01:59 link do gargol | | favorito

Depois de observar alguns temas debatidos, aliás, mal debatidos, especialmente em alguns grupos do facebook [#Nazaré] ou mesmo em conversas de café, penso que: (Algum)as pessoas não percebem bem o que se faz, o que se quer fazer, o que se diz, o que se quer dizer, ou mesmo o porquê de (ainda) não fazer, ou então fingem não perceber. Por vezes, nem sequer olham aos factos e, é tal a obstinação que, não conseguem pensar nem ver mais longe. Em última análise, muita gente não consegue ver para além daquilo que via há uns meses ou mesmo pior, só agora começou a ver, pena que sofram de miopia e estigmatismo acentuado. E, nesse caso, lamento dizer, mas, há pessoas que, ao contrário dos burros em que são os donos a dotá-los de óculos de Alcanena, antes, auto dotaram-se de tal engenho que insistem em usar afincadamente e até com alguma cagança – Se pelo menos fizessem um pequeno esforço para mexer o pescoço!


comentar
gargolado por westnelson, em 21.01.14 às 23:23 link do gargol | | favorito

Um deputado municipal é eleito, como cabeça de lista pelo "seu" partido, para quatro anos a liderar a bancada na oposição da Assembleia Municipal.

 

Falta sistematicamente ao pedir oito ou dez dias de suspensão do mandato por forma a incluir nesse período a Assembleia Municipal agendada.

 

A isto, além de uma falta de respeito para com quem o elegeu, pode-se dizer que é pura cobardia. A não ser que seja por motivos de saúde - que não é o caso. Bem, o homem pode ter emigrado por motivos profissionais - também não se aplica, pelo menos, para já. Porque não pede, então, a renuncia ao mandato? Por ventura era o mais sensato que tinha a fazer e, nem mesmo a suspensão maior prevista na lei, 365 dias seguidos, o safa de ser apontado como um faltoso que nos deixou uma autarquia à beira de um caos quase que em condições de ingovernabilidade, não só financeira como organicamente. O melhor que tinha a fazer era sair de vez pela porta pequena - como no dia em que tomou posse como deputado - e esperar, "em paz", pela responsabilização, ou não, que a auditoria à gestão do município, certamente, lhe irá atribuir, já que, financeiramente, essa, está mais que atribuída... o seu a seu dono!


comentar
gargolado por westnelson, em 29.08.13 às 01:25 link do gargol | | favorito

Desde o dia 21 de Agosto que é proibido pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) fazer qualquer tipo de campanha eleitoral através de telefone (p.ex. SMS) ou por e-mail. O que é certo é que quase todos os dias recebemos e-mail's, pelo menos por parte de uma das candidaturas às autárquicas de 29 de Setembro. A esses movimentos não bastaram já terem açambarcado os jornais da região e não largarem o facebook com gostos a tudo e a todos (onde até falsos perfis usam para chegarem onde de outra forma não conseguiam...!), que ainda se sentem no direito de enviar para o nosso mail propaganda eleitoral - que deve ser fornecida, para nossa informação, ou não, mas pelos meios e canais previstos pela lei. Assim, e caso não saibam, está aqui a notícia e está aqui o site e deixem de se armar em Chicos espertos.


comentar
gargolado por westnelson, em 22.08.13 às 16:29 link do gargol | | favorito

Ó meu Deus, quanta esquizofrenia política. Já se esqueceram daquilo que recentemente fizeram e deram cobro. Não é por se estar contra, agora, ou através de jogos de contorcionismo vertebral, que se branqueou o mal feito anteriormente. Mal seria e curta seria, também, a memória das pessoas.
Quanto a isto, ao que parece, vão todos "All In" mesmo sem jogo, com blufs, e até com entradas tardias em jogo...


comentar
gargolado por westnelson, em 26.06.13 às 18:27 link do gargol | | favorito

Depois da decisão do tribunal que sentenciou contra a candidatura de Fernando Seara ao município de Lisboa – não sendo caso único no país, também, não se percebendo o porquê de decisões com resultados tão diferentes para casos tão idênticos – dá a sensação que este marcou golo seguido de uma falta – tal como nos outros casos que, curiosamente e à excepção de um ou dois de uma equipa mais avermelhada, são todos laranjas (ou azuis - querem lá ver que passaram para os centristas e ninguém sabe!) – e, ainda assim, foi validado. Marcou na seara alheia mas não é certo que, apesar deste golo mal validado, Seara e a sua equipa ganhe o jogo; até porque, a outra equipa, por todo o trabalho desenvolvido segue na frente e, sendo melhor, também segue na posição cimeira deste campeonato e só uma catástrofe a faria perder esta partida em particular e o campeonato no geral. (a)

 

A última jornada está marcada para 29 de Setembro nos estádios dos vários municípios e o campeonato está a compor-se. Por cá também... Mas até lá, muito há para jogar – e esta equipa sabe jogar, sabendo que, é preciso disciplina táctica, jogo limpo, clareza nas ideias e nos ideais (1) embora muitos acreditem que, aqui, o campeonato seja de surf (2), e que, mesmo assim, podem fazer jogo sujo e vencer levados por uma onda gigantesca que de boa nada tem, antes pelo contrário. A onda que esses surfam tem a dimensão de uma dívida de mais de 50.000.000,00€ (cinquenta milhões de euros) – creio que, nivelada por baixo, por quem, ainda assim, teve a coragem de aprovar as contas do município em assembleia municipal – pelo menos tendo em conta como se desenvolveu o processo, aliás já testado e confirmado pelo poder instalado por diversas ocasiões –, na ordem dos 43.000.000€uros. Quanto aos outros, apenas esperam para entrar em jogo, mas não sei se terão oportunidade de experimentarem a borracha que não em aquecimento (3) (4) (5). Vamos ver se entretanto aparecem mais candidaturas (in)dependentes!


comentar
gargolado por westnelson, em 25.06.13 às 17:35 link do gargol | | favorito

O que está na base desta onda, muito provavelmente, é, também, a origem deste síndrome...

Bem vindos à Nazaré!


[1] + [2]


comentar
gargolado por westnelson, em 22.06.13 às 17:04 link do gargol | | favorito

Idiossincrasias de um município - O estado natural das coisas que vão acontecendo (de forma normal), num qualquer município onde as contas públicas correm com normalidade e sem grandes problemas.

 

Idiotossincrasias de um município - O estado alterado das coisas que vão acontecendo (de forma anormal), num qualquer município onde as contas públicas dispararam para números na ordem dos muitos milhões de €uros em dívida sem que se tenha feito ou se veja obra ou qualquer outra coisa em prol das populações... a não ser a tentativa de hipotecar o futura dos munícipes com ideias que jamais ocorreriam a quem quisesse o bem público que não o individual ou só o de alguns.

 

Qualquer semelhança coma realidade é pura coincidência! 


comentar
gargolado por westnelson, em 17.06.13 às 15:32 link do gargol | | favorito

E vão dois equívocos ou lá o que queiram chamar a esta falta de honestidade intelectual, para não lhe chamar outra coisa, por parte das hostes da secção nazarena do PSD. Presumo que as inverdades afirmadas por parte daquela força política para com a Concelhia nazarena do PS tenham apenas o intuito eleitoralista de modo a confundirem o eleitorado. É a mais baixa forma de fazer política, aquilo a que normalmente se costuma chamar, entre outras expressões, de politiquice. São acções e tomadas de posição deste tipo que tiram a credibilidade aos "políticos" por parte dos cidadãos de uma maneira geral.

Ter coragem e defender aquilo que pretendem fazer e sempre fizeram ao longo dos vários executivos, especialmente neste último, digamos que, não é apanágio deste insalubre PSD. Antes, já é prática corrente de quem nos governa mesmo na esfera local. Arrasaram com a “economia do concelho” e é o que pretendem continuar a fazer em caso de haver uma doença súbita generalizada de uma população que tem sido achincalhada, gozada e sugado até ao tutano. Numa altura em que a procissão já vai no adro, começa a valer tudo, inclusivamente lavagens cerebrais e até tirar olhos – Tenham medo! – dizem, provavelmente, alguns deles. Quem esteve no poder vinte anos e fez os estragos que fez, e que, caso sejam chamados a (des)governar este concelho, certamente o vão querer continuar a fazer. É esse o compromisso com futuro que nos reserva a candidatura da continuidade, não tenham dúvidas.

 

Histórico da recente esquizofrenia política:


1º Ataque de esquizofrenia política – A água, saneamento básico e recolha de resíduos urbanos


2º Ataque de esquizofrenia política – A problemática do fecho dos CTT em Valado dos Frades.


3º Ataque de esquizofrenia política – [provavelmente já está em congeminação na secção nazarena do PSD – o alvo são os mesmos de sempre – a candidatura às autárquicas por parte da concelhia nazarena do PS. É esta a política pouco credível, para não dizer nada credível do compromisso com futuro].


comentar
gargolado por westnelson, em 15.06.13 às 14:21 link do gargol | | favorito

Mais uma vez a secção nazarena do PSD fez um infame e desmedido ataque ao PS Nazaré usando para isso um comunicado à população. Diga-se que, de comunicado apenas tem o nome, nada mais.

 

A Forma:

Mesmo colocado num qualquer blog que não em montras de cafés e afins do comercio local, não passava de um post bastante medíocre, mal escrito, usando vírgulas e outros sinais tais como pontos de exclamação sem nexo, aplicando um português, no seu todo, característico de uma composição de um fraco aluno do 5º ano.

 

O Conteúdo:

Nota-se logo que, quem escreveu esta espécie de texto mal articulado, apenas teve a intenção do ataque mentiroso ao PS Nazaré de forma, mais uma vez, a confundir as pessoas, neste caso, em especial, os munícipes, ou seja, o eleitorado de Valado dos Frades. Só não compreendo o porquê de não fazer o mesmo contra o partido que com eles faz coligação na Junta de Freguesia do Valado e que votou, bem, tal como o PS, contra a saída dos serviços postais da esfera dos CTT. O único partido que foi sempre coerente com as ideias e tomadas de posição, bem definidas em prol da população em todo este processo, foi o PS Nazaré. O único partido a estar presente ao lado dos populares nos momentos de luta “in loco” foi o PS Nazaré, nenhum outro partido do concelho se interessou pela luta que os munícipes travavam. Tudo, sempre sem o apoio dos autarcas da coligação eleitos para a Junta e do seu presidente.

 

Normalidade Retomada:

Para que a verdade seja reposta e toda a gente fique esclarecida, melhor que ler estas linhas será, com certeza, ler a necessária defesa do PS, tanto pela parte dos autarcas eleitos pelo PS para a assembleia da Junta de Freguesia do Valado dos Frades, como por parte do PS Nazaré. Quanto ao actual presidente da junta de Valado dos Frades eleito pelo PSD e seus camaradas, é – como o tal fraco aluno do 5º ano que poderia ter [mal] escrito o vil ataque – muito fraco. Não tem categoria para ser presidente de junta nenhuma.

COMUNICADO À POPULAÇÃO DE VALADO DOS FRADES by West Nelson


comentar
gargolado por westnelson, em 24.05.13 às 23:28 link do gargol | | favorito

Estás grande, olha como cresceste. Sim eu sei que adquires várias formas físicas e até outras, mas, ainda assim, vês como estás grande?! Pena, não conseguiste foi adquirir uma forma de modo a desapareceres completamente. Muitos já o julgam impossível. Há até quem diga que és maior do que aquilo que demonstras ser, sua safada. Segundo dizem por aí, vais de boa saúde, mas eu não acho nada disso. Ainda te lembras quando o Benfica foi campeão da última vez? Lembras-te? Dessa vez levaram-te no bolso, aliás, até no sapato podias ir. Já estavas grande, grande de mais, mas com as dimensões físicas que adquiriste nesse dia, como em tantos outros – com 8,5x5,4x0,1 – até na palma da mão cabias! Lembras-te que à tua conta comeram e beberam no estádio Luz para comemorarem o feito dos “encarnados” já sob a batuta do JJ? Aquilo é que foi cá uma festa. Lembras-te, também pagaste as portagens e o combustível para a deslocação à capital? E, lembras-te com certeza que adquiriste a forma de viatura automóvel – aliás, dessa forma já nem há conto possível, tantas foram as vezes que o fizeste – para levar o pessoal ao estádio? Disso lembras-te, não lembras? Parece-me que estás uma senhora bem fornecida com a particularidade de poderes adquirir a forma pretendida de maneira a satisfazer as necessidades dos utilizadores que de ti se vão aproveitando. Não consideras esse uso, e abuso, uma violação, uma perversão ao mais alto nível? Devias considerar. Agora não estarias tão grande e tão deformada. Mas olha, lembras-te, ainda, quando na tal forma – com 8,5 por 5,4 e ‘fina como uma grossa cartolina’ – foste apanhada numa estação de serviço a pagar a conta do “pitrol pó carrinhe partiquelar” de familiares de alguns dos teus abusadores. Aliás, todos eles são colaboradores! O caderno quadriculado de capas vermelhas sabe de tudo, tudo, até os nomes deles, só não apresentas queixa porque não queres. Lá chegará o tempo em que tudo prescreve mas lembra-te que tudo se virá a saber. Não tenhas pena deles, são mesmo uns abusadores. Muito mais que isto foi registado, de forma a perdurar nos tempos, nas minhas folhas quadriculadas de capas vermelhas. Estive muito tempo algures numa gaveta bem fechada à chave de uma secretária na casa amarela da rua d’Avenida. Agora, porque já me levaram dentro de uma mala – estava escuro e não deu para perceber onde estava ao certo –, estou muito bem guardado numa qualquer gaveta de uma “moradiazita” algures na “Praia, Síte ou Padarnera... ou arredores, quem sabe!?

 

 

Alguém teve esse trabalho à medida que ia sabendo dos abusos que tu sofrias. Escreveu-me, rasurou-me todo, por vezes chego a pensar que, também eu, fui abusado! Ainda assim, sabe-se que muito escapou. Tenho a certeza disso. Era impossível saber-se de tudo, mas, o que se sabe, é o suficiente para se saber quem eram os maiores prevaricadores e teus abusadores. A lista está feita, mas não fechada... Muitas dessas conversas em que tudo se ficava a saber decorriam através daquelas coisas a que alguém chamou um dia ‘Macacos Pretos’, daqueles de trazer no bolso, sabes? Contudo, esses macacos já eram parte de uma das violações que tu vinhas sofrendo. Serviram para te engrossar. Até o seu próprio alimento, incluindo essas bagas a que chamam “dar com a língua nos dentes” te fazia azia, mas uma azia tão grande que lá acabaram por decidir abatê-los na tentativa desesperada de acabar com algum excesso de população e de alimento compulsivo... coisa quase impossível por estas alturas de desnorte total. Agora restam muito menos desses macacos que chegaram a formar uma comunidade tão grande que, por muito tempo, andou num crescimento descontrolado. Agora, tão grande e deformada, a inércia deu cabo de ti. Já não pode ser de outra maneira. Há demasiados vícios que te fizeram assim e, para piorar, nunca te quiseram levar ao médico e fazer uma análise séria. Nunca foi equacionado o problema de frente. Agora és tu quem está completamente descontrolada – Minha Querida Dívida Municipal!

 

Despeço-me com elevada estima e consideração,

Beijinhos e abraços.

 

Ass:

Pequeno ‘Moleskine quadriculado de Capas Vermelhas’


comentar
gargolado por westnelson, em 15.05.13 às 17:27 link do gargol | | favorito

... tendo em conta o post anterior, basta ir ao Mar à Pedra no post "A Mentira Não Pode Correr Mais que a Verdade" para que as mesmas se desfaçam. Enquanto houver mentirosos na política, ou politiquices alimentadas por mentiras e mentirosos, não chegaremos a lado nenhum!


comentar
gargolado por westnelson, em 14.05.13 às 19:14 link do gargol | | favorito

Depois de ter tomado conhecimento sobre este comunicado, digna demonstração do tipo de política que estes senhores do PSD Nazaré estão habituados a fazer, uma política de mentira e de desestabilização por forma a confundir os eleitores (e baixar o nível do debate), só tenho a dizer que, além de pulhice – para citar um camarada meu, que muito me orgulho em ter como amigo –, é apenas a demonstração da confusão que vai naquelas cabeças, que não tendo ideias para esta terra em favor dos munícipes, fazem agora a apologia do mais baixo que se pode ser enquanto político. Afinal, o PSD, neste comunicado – mal escrito, curto, grosso e do mais mentiroso que já pude ver até hoje a este nível –, na pessoa do presidente da concelhia da Nazaré, não faz mais que trocar de protagonistas em relação à tomada de posição desde o início do processo da luta contra a privatização das águas da Nazaré e saneamento básico. É aquilo a que se chama uma política esquizofrénica que já não sabe às quantas anda. Parece que no PSD da Nazaré anda tudo confundido.

A verdade dos factos é do conhecimento dos munícipes da Nazaré e, ainda assim, se alguém estiver por fora dos acontecimentos basta tomar conhecimento sobre as posições que o PS Nazaré vem tomando ao longo deste processo, sempre contra a privatização do que é público. Pelo contrário, o Presidente da Câmara, eng.º Jorge Barroso, e o PSD Nazaré, esses sim, fizeram uma tentativa clara de privatizar um bem estruturante e essencial à vida de uma comunidade com uma aprovação inicial por unanimidade no executivo nazareno e uma avassaladora votação a favor da maioria (mais um*) na assembleia municipal com os votos contra de toda a oposição (menos um*). Então, onde está a verdade? Depois do que se está a passar só me apetece chamar a esta gente nomes feios, mas, pelo esquizofrénicos e mentirosos me fico, porque ir mais longe era descer ao nível que estes senhores querem fazer baixar o debate com todas estas mentiras. Como é possível haver tanto descaramento para se estar na política desta forma? Tanto GPS avariado, graças a Deus... usem uma búsula!


* esse “um” há muito que não conta, para não dizer outra coisa!


COMUNICADO RESPOSTA PSD MOÇÃO ÁGUA EM AM - 13 MAIO 2013 by West Nelson


comentar
gargolado por westnelson, em 12.05.13 às 17:23 link do gargol | | favorito

A coisa que mais irrita na actual gestão do município da Nazaré, assim como em tantos outros, independentemente da cor política, é terem quatro anos para irem resolvendo os problemas e outras situações, e, quando se chega à recta final, por pura propaganda eleitoralista resolverem fazer alguma coisa de proximidade ao munícipe, tantas vezes reclamada, mas, de forma apressada, forçada e até aldrabada, ou seja, de um modo provisório, para depois poderem dizer, "aqui del rei fizemos obra!" Idiotas!


comentar
gargolado por westnelson, em 07.04.13 às 18:08 link do gargol | | favorito

Um documento analítico da condição da empresa municipal Nazaré Qualifica elaborado por Orlando Rodrigues pertencente ao Secretariado do PS Nazaré.

Para se poder compreender melhor toda a discrepância existente entre o que é e para o que está a servir esta empresa, sem que haja intervenção analítica de terceiros basta comparar o orçamento e plano de actividades desta empresa para 2013 e os estatutos da mesma.

Análise Nazaré Qualifica by PS Nazaré


comentar
gargolado por westnelson, em 29.03.13 às 22:03 link do gargol | | favorito

Sabe-se, de um modo geral, não sendo taxativo, que as candidaturas independentes às autárquicas são usadas sobre tudo por pessoas que, por qualquer motivo, ficam fora das listas dos partidos. Por mais ideologia partidária que haja dentro de cada um desses independentes, exorcizam os seus passados absorvendo e até lutando pelo sentimento antipartidário que em parte se instalou na nossa sociedade. Contudo, ser “independente”, ou querer parecer que o é, já é, de alguma forma, tomar partido.

 

As ideologias partidárias que não têm de ser rígidas, quero crer que não o são, mau seria se o fossem e cada vez menos o são – estou convencido disto – até porque quem não evolui neste sentido fica fora do seu tempo e a viver do passado que em nada favorece quem dali comunga e a quem raramente serve – a população. Ainda assim, o filão do candidato independente, com ou sem passado político, é quase sempre explorado de um modo quase esquizofrénico ao ponto de, fora do alcance e do seguimento de uma ideologia, poder descambar por caminhos anormais a uma sociedade democrática em que o candidato é soberano sobre todas as suas opiniões que poderão chegar ao ponto de ser antidemocráticas e até homofóbicas, não abrindo a política à sociedade – o que é um contra-senso –, apenas promovendo as figuras de topo de tais listas independentes. Não quero com isto dizer que é o que normalmente acontece, mas que acontece em muitos casos, disso não tenho dúvidas. Mas, a maior brecha numa candidatura deste género é a grande falta de coerência entre as opiniões sobre os mesmos assuntos em determinados períodos temporais bastante curtos, inferiores a um período autárquico – se isto acontece com alguns políticos dentro dos próprios partidos, muito mais facilmente acontece fora deles. Uma situação destas só é aceitável se por qualquer impedimento legal ou prático for impossível seguir em frente com o que estava inicialmente previsto. O que interessa na essência de um projecto autárquico sério é trabalhar obedecendo a um rigoroso programa, entretanto sufragado pela população, para benefício desta, e não depois de eleito e designado para uma tarefa andar a mudar de opinião como quem de camisa troca diariamente. O trabalho resulta se tiverem objectivos bem definidos pelos quais se possam orientar, levando a bom porto o desenvolvimento dos projectos para bem da população e do concelho para o qual foram eleitos. É aqui que é necessário estar atento aos desvios, para além do aceitável, das ideias com elevado índice de falta de bom senso.

 

Aliás, um autarca tem sempre, mas sempre, mesmo, de defender a causa e a gestão pública de tudo que a uma entidade destas diz respeito, não alienando bens do erário público por o dá cá aquela palha em proveito próprio de outros ou mesmo em prol de interesses obscuros que não consigam ser explicados de modo convincente. Um indivíduo que age assim, não está predisposto para a sociedade democrática que o elegeu, antes pelo contrário, podendo, e devendo ser levado, em última instância, à confrontação com a justiça. E é aqui, nesta confrontação, que Portugal tem falhado a toda a prova.


comentar
gargolado por westnelson, em 27.03.13 às 11:35 link do gargol | | favorito

Ambas as situações estão, à vista de todos, cheias de ilegalidades, ainda que feitas debaixo da alçada da lei (?), pois nem tudo o que é "legal" é moralmente correcto. Assim, estas nomeações, numa altura em que se devia começar a dar mais importância aos cortes com a despesa do estado e das próprias autarquias não é admissível que se façam este tipo de contratações, ainda para mais para ocupar cargos que até aqui não existiam e que para nada servem.

Se o governo criasse o ministério da Cultura - e hoje comemora-se o Dia Mundial do Teatro - e, a autarquia da Nazaré um pelouro para o turismo - é inaceitável que uma terra que viva essencialmente do turismo não tenha um pelouro próprio quando tem um executivo de sete elementos e metade não faz nada e nem sequer sabem o que lá estão a fazer além de receber o ordenado ao fim do mês -, assim já eram coerentes as nomeações começavam a fazer sentido, mas, com as pessoas correctas, quero dizer, com as pessoas formadas ou com entendimento prático nas matérias atrás mencionadas.

 

"Nomeações há muitas... seus palermas!" Há pouco é quem trabalhe!

Bem-vindos a Portugal!; Bem-vindos à Nazaré!

 

Já agora, pedíamos ao edil da Nazaré para, arranjar um tempinho e, responder à missiva que lhe foi enviada. Desde já aqui fica o obrigado dos munícipes do Concelho da Nazaré.


comentar
gargolado por westnelson, em 22.03.13 às 19:53 link do gargol | | favorito

Porque a poesia também pode ser um documento da actualidade, um modo de intervenção, uma maneira de analisar o que nos rodeia e que é da esfera do mundo real, hoje, no Dia Mundial da Água, tendo como pano de fundo a luta travada contra um executivo camarário que teima em privatizar a exploração da distribuição das águas da Nazaré e do saneamento básico, no mínimo por trinta anos, para que outros lucrem com aquilo que é estruturalmente essencial a uma comunidade, sabe-se lá com que consequências – boas não são de certeza –, onde, provavelmente, haverá aspectos desta negociata do desconhecimento da maioria da população, que apenas beneficiará quem o faz, deixando os munícipes em maus lençóis. Isto não é defender a causa pública para o qual foram eleitos – antes pelo contrário!

Saiba mais sobre a negociata que o senhor Antunes quer, a todo o custo levar a bom porto mau porto. Bem-vindos à Nazaré.

 

Antunes e seus discípulos

a nossa água querem dar

para outros lucrarem

e nós ficarmos só a ar.

 

De hidrogénio são dois átomos,

o oxigénio é um só,

é a composição da água

a formula é H2O.

 

É disto que se trata,

tão simples como água,

é o que nos querem tirar

para ficarmos com nada.

 

A água já evapora,

o processo já está a ferver

para outros enriquecerem

e o Antunes satisfazer.

 

Por agora vou terminar...

Senhor Antunes e companhia,

não sejam hipócritas em demasia,

escrevam lá na sebentinha,

ponham tudo, tudo, no papel,

para nas autárquicas de Outubro

o povinho poder [em consciência] votar.


comentar
gargolado por westnelson, em 15.03.13 às 13:29 link do gargol | | favorito

Depois de um independente que se julga ser mas que não o é, e com o rabo preso, nomeadamente a este último executivo, por ventura o pior dos últimos vinte anos de governação PSD, surge agora, um outro senhor da política local com muita culpa no cartório do registo predial das obras prometidas e da dívida da autarquia nazarena a querer, também ele, ser cabeça de lista para as autárquicas do próximo Outono. Peço desculpa pela gralha. Passo a explicar: Não é ele que quer formar uma lista à CMN, são “as muitas pessoas dos vários sectores da população Nazarena que o vão empurrando para tal situação”, para ele deveras incómoda, já se vê!

Resta saber, se essa lista for para a frente, como se vai chamar esse movimento político concorrente às autárquicas de 2013? Podia ser “Independentes II ou B”; ou, “PSD II ou B”; qualquer coisa neste sentido, um qualquer serviria, sendo que, de independentes nada têm, tendo como base a condição do cabeça de lista. Ser uma segunda equipa, ou mesmo uma equipa B do PSD, era bastante mais credível do ponto de vista ideológico do mentor do projecto político em causa. Mas, sabemos que, “se as pessoas fizerem muita força” e essa lista for avante, nada disto será minimamente possível. O que se lembrarão de fazer será algo do género: “Movimento Cívico Defensor dos Nazarenos”; ou, deixa ver, “Movimento dos Cidadãos Descontentes da Nazaré” – em ambos os casos MCDN. Ainda querem melhor? Arre chiça que são exigentes!

 

Mas, atenção que, seja qual for o nome do movimento que “a pedido de muitas famílias” querem levar o actual número dois deste desastroso executivo (ou será número três?) à candidatura como cabeça de lista, uma coisa é certa, nunca, mas nunca, mesmo, terá condições, tal como o “outro” independente, para assumir um claro corte com aquilo a que se pode chamar de políticas de continuidade apostadas na desgraça nazarena, tudo porque dela fizeram parte no passado, tudo porque a vossa assinatura e o vosso voto está metido em tudo o que levou a Nazaré a estar como está – com o recorde da maior onda surfada! – mas esta não foi na Praia do Norte, esta é a maior onda surfada mas do tamanho de mais de 50 milhões de euros levando a que cada munícipe do concelho e cada criança agora nascida e registada no cartório do registo civil da Nazaré tenham automaticamente de surfar uma onde de quase 4.000,00 €, se não for mesmo mais nesta altura em que já se fala em perto de 60 milhões de divida da autarquia Nazarena. Meus senhores, isto tem de acabar, Não chega já uma onda deste tamanho? Ainda querem um recorde maior? Para onde vamos? Sabem responder a isto?! A única mudança possível é o corte radical com o passado e para isso há uma solução, um projecto que não o da continuidade.

 

Bem-vindos à Nazaré!


comentar
gargolado por westnelson, em 13.03.13 às 04:13 link do gargol | | favorito

O suposto independente – que é tudo menos isso, antes pelo contrário, que, a par de outros já passou praticamente por todos os quadrantes, de norte a sul, de cima a baixo, e até da esquerda p'ra direita – está a pedir a quem vai ao seu “estabelecimento comercial” preencher as papeladas “vindas directamente da Tailândia” para entregar ao fisco – nomeadamente aos “Tonhe  Tábuas”, às “Mari’s Engrácias” e a outras pessoas que não pescam nada daquilo – para assinarem uma folha onde já constam alguns nomes (?) em como se comprometem (?) a pôr a cruzinha à frente da sua “fetegrafia” em Outubro. Em troca não leva absolutamente nada, nem sequer “um par de botas”, por preencher os formulários. Sabem como se chama a isto? Chama-se descaramento, ou, comprar votos com registo e aviso de recepção. Aí cagão! (já o Raul dizia em “tempes”). Na realidade isto vale o que vale, ou seja, nada. Apenas compromete as pessoas que, por algum motivo, se sintam mais vulneráveis (e que não tenham tal intenção) perante os outros em caso de divulgação pública dessa lista. Mas, em todo o caso, se o “independentezinhe” resolver jogar baixo e divulgar a lista publicamente, as pessoas que lá estão e que, mesmo assim, não se revêem com a sua maneira de fazer politiquice, podem sempre alegar que, fizeram a vontade ao homem só para ele se sentir importante e, acima de tudo, para obterem os formulários prontinhos a entregar nas finanças a custo zero – Haja paciência para estas politiquices da treta!

 

“Independentezinhe” – Termo nazareno para designar pessoas que conseguem, ou melhor, conseguiam... ou conseguiram (em tempos), “escrever” com as duas mãos ao mesmo tempo e, ainda por cima, coisas diferentes sem que os outros se apercebessem logo à primeira. Tudo isso levados pelos caciques instalados, os do costume, claro, a troco daquilo que não sabemos descrever por ser demasiado complexo para mentes normais.

 

“Mentes normais” – pessoas que pensam por elas próprias e que, acima de tudo, além de não serem facilmente influenciáveis, não são corruptas.

 

Tudo o que atrás está escrito partiu de uma mente normal tendo ainda a salientar que, toda e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência, tratando-se apenas de um texto escrito para divertimento de quem o lê.

Já agora, conhecem aquele gesto à hang-loose? Façam-no agora à frente do nariz!


comentar
gargolado por westnelson, em 11.03.13 às 19:15 link do gargol | | favorito

comentar
gargolado por westnelson, em 09.03.13 às 20:53 link do gargol | | favorito


Clicar na imagem para aumentar

Resta informar que esta pérola pertence aos primórdios do actual executivo (cerca de três anos). Por aqui se vê quem nos tem governado há anos a esta parte!


comentar
gargolado por westnelson, em 26.02.13 às 01:38 link do gargol | | favorito

Um presidente de câmara que termina o mandato em 2013 quer privatizar a todo o custa as águas públicas do concelho hipotecando, no mínimo, o que resta da actual e vindoura geração, se é que não já está tudo hipotecado há muito tempo pela péssima desgovernação de duas décadas de promessas. Não bastava já o buraco social e económico-financeiro criado, que ainda vai ter de aumentar para o máximo taxas e impostos autárquicos à pala das “ajudas” que em nada ajudam a resolver os problemas da má gestão que o executivo PSD infligiu a esta vila.

Bem-vindos à Nazaré.


comentar
gargolado por westnelson, em 15.02.13 às 01:46 link do gargol | | favorito

Este é um discurso que o Presidente de Câmara Municipal da Nazaré fez em Abril de 2009, a menos de meio ano para a realização de eleições autárquicas.

Penso que este discurso deverá ficar nos arquivos da história do concelho da Nazaré não só pelo seu conteúdo mas, também, pelo que ele simboliza. O ser humano tem muitas virtudes e defeitos. Por muito que os oculte a História, um dia, encarregar-se-á de classificar os actos e as consequências dos mesmos.

Divulgo este excerto para que não se cometam os mesmos erros do passado.

Por mim já chega de tanta promessa e mentira. Do mesmo lado da barricada virá quem queira transmitir uma ideia de seriedade e de distanciamento com o passado cabe a cada pessoa perceber se estão a ser bem guiadas ou se o concelho em que habitam se está a distanciar de padrões de desenvolvimento que ambicionamos, há muito. Na condição de munícipe e autarca local não me resta aguardar, serenamente, que a restante população tire as suas conclusões e que caminhe rumo a novos projectos porque os actuais transpiram, para além de desgaste natural, uma total inaptidão para resolver a actual situação autárquica que é, absolutamente, aflitiva. Para bem de todos espero que todos busquem um concelho melhor.

Para ouvir e refletir...



in Mar à Pedra





Copyright Gargol 2013 | linhas mestras | gargol@sapo.pt

eXTReMe Tracker






Linhas mestras

gargol@sapo.pt
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


pesquisar no Gargol
 
subscrever feeds
.
mais comentados
gargoladas antigas