comentar
gargolado por westnelson, em 14.02.13 às 02:38 link do gargol | | favorito

Este Carnaval do Casino

ficou bem documentado

com tanta imagem gravada

podem fazer um canal pago!

 

À TVcabo escusa de aderir

tem filmagens para um ano inteiro,

o “nosso” filmador de estimação

filmava gato e cão!

 

Horas infinitas na cadeira

a filmar o que se passava

da sala de "balhe" ao palco

ninguém escapava!

 

Criou calo no cu

e por fim lá se levantou,

foi até meio da sala

e de máquina em riste, no ar,

de repente já estava no palco,

parecia o Batalha a filmar.

 

Muito pouco para encher a gravação,

“prós” dvd’s vão ter de inventar

neste Carnaval sem explicação,

deverão recorrer, então

àquele histórico arquivo,

do “nosso” filmador de estimação!

 

 

Em boa hora fiz do Casino este Carnaval a minha sala de "balhe", no entanto, na quarta-feira de cinzas não pude ir por já me encontrar a trabalhar não sendo muito compatível conjugar aqueles horários. Assim, decidi fazer aqui no Gargol aquilo que faria se lá estivesse - escrever umas deixas - para aquela pequena representação a que se chama o enterro do bacalhau - pelo menos era assim que se chamava quando era feito no Mar-Alto, quando este "balhe" ainda fazia o "balhe" da quarta-feira de cinzas. Para quem esteve no casino, provavelmente, irá conseguir perceber tudo o que aqui é dito em redor de uma personagem que filmou horas a fio aquilo que em pleno quadrado se passava, fosse com a banda ou com o DJ, entre outras situações. Aquilo visto do bar do casino ou logo ali ao cimo das escadas de acesso à imperial e às bifanas do lado da entrada, era um papelinho pegado. Não sei é onde é que o homem tinha tanta autonomia no aparelho. Se calhar tinha mais que uma bateria, a máquina e ele!


comentar
gargolado por westnelson, em 31.01.13 às 04:16 link do gargol | | favorito

«A c’missão de Carnaval ‘tá desguestosa.»
[Todes em voz alta:] «– Q’al comissão, catane?»
«Se sóbessem qu'o MácNàmára voltasse a tempe d’ir nos Bcicletas, ao balhe de másc’ras do Casine, ao San Brás e ao Carnaval, na vez do Alex, tinhem esc’lhidi-o pa Rê do Entrude – É à Mar-Alte! Bummmba! – É qu’táva previste só vir p’ás festas, a tempe da campanha!»


«Sabe-se de fonte segura – foi arranjada a s’mana passada com cimente, cal e arêa do p’nhal, mas a áuga ainda na foi aberta! – qu’era esse o deseje e a primêra escolha das entidades da rua d’Avenida pó rêzinhe!»

 

«E agora, só pa terminar as netiças do Carnaval, segunde... e tercêres, a mesma fontinha, segura mas s’quinha, o telesférico foi o transporte esc’lhide pús Rês do Entrude deste ane!»


«Texte escrite ao abrigue do acorde urtográfique entre a Praia, o Sít e a Padarnêra.»

p.s. Se não conseguiu decifrar algumas das palavras utilizadas no texto acima escrito, por favor, faça o download do respectivo dicionário online para o seu browser. Obrigado.


comentar
gargolado por westnelson, em 26.01.13 às 03:26 link do gargol | | favorito

O blog Gargol e o Vai Ó Mar Tonhe não têm a pretensão de ter uma marcha de Carnaval, contudo, se a tivessem essa seria na certeza alguma coisa com o sentido que esta espécie de letra pretende transmitir.



“Em 2013 sai tode tese!”

Gargol / Vai Ó Mar Tonhe!

 

 

Na’é d’agora na’senhora

Pà história vai entrar

Qu’até o querem eternizar

Numa estátua à ‘nha porta

P’ra mais tarde [me lembrar] [recordar]

 

2013 sai tode tese

Ao mar vai s’atirar

Numa onda de mar perdida

Daquela velha barca

De esguelha, toda partida

 

Vem a onda, vem a onda

Num mar malvado, à Pinoca

Perigoso quanto baste

P’ra dar nome à terra

E fama a quem se encoste

 

A barca velha vai de esguelha

Mete água em desmasia

Na’navega, adorna, s’lavanca

E o arrais grita ao povo

Num murmúrio obstinado

p’ra reparar

privatizar, vender e dar!


comentar
gargolado por westnelson, em 03.01.13 às 02:35 link do gargol | | favorito

Mote para o Carnaval da Nazaré 2013: "Ai q'inganes cmò Tó-Tó"


Conhecido por Tó-Tó. o António Traquinhas Garcia, certa vez, depois de ter sido aceite para trabalhar num barco, adoeceu. Esteve uns dias de cama, na casa onde morava (Rua Nova da Areia, 21), mas, quando recuperou, o dono do barco já não lhe quis dar trabalho. Desolado, o Tó-Tó queixou-se pelas ruas da praia em como tinha sido enganado. Ai t'indanes! foi a frase que ele repetiu várias vezes durante as queixas. Se ele não tem tido dificuldades em pronunciar certas palavras , ele teria dito antes Ai que enganos! Mas, claro, foi precisamente o humor que há na expressão Ai t'indanes! que não escapou aos ouvidos do povo.
Usa-se a frase Ai q'inganes cmò tó tó para indicar que alguém voltou ou vai voltar atrás na palavra.
O Tó-Tó faleceu na Nazaré, no dia 5 de Fevereiro de 1935.
(in Expressões da Nazaré de Armando Sales Macatrão, 2ª edição, pág. 79)

 

Não sei quem foi o iluminado que escolheu esta expressão como mote para o Carnaval da Nazaré 2013, mas, uma coisa é certa: A expressão cai que nem ginjas no último ano do mandato do arrais da barca velha que, lá vai navegando de esguelha e, a meter água por todos os lados. Afinal, andamos há pelo menos uma dúzia de anos, para não dizer há vinte, à espera da concretização das promessas - renovadas a cada 4 anos - para a nossa Nazaré, o dinheiro foi-se - para onde, não se sabe ao certo - e a obra vimo-la por um canudo! É caso para dizermos uma outra expressão tão querida à nossa "Nazarenidade": É obra! (pág.183 do mesmo livro)


comentar
gargolado por westnelson, em 13.03.11 às 01:34 link do gargol | | favorito

É só bananas...Constatou-se que, para os jovens e para muitos menos jovens, os Bares – que nós gostamos muito -, nas ruas da Nazaré passaram de alternativa a referência por troca com as Salas de Baile, embora seja ali que resida um dos principais suportes do nosso Carnaval, ou pelo menos devia ser assim, a par das cegadas, que cada vez são menos, das marchas de carnaval, com uma produção artística com muita qualidade e inigualável a nível nacional, e das Bandas infernais, em plena ascensão por deterioração dos grupinhos limpinhos e bem arranjadinhos do desfile de Terça-feira. Ainda hei-de ver, embora não seja o habitual, um desfile, se é que se pode chamar isso, de bandas infernais na Terça-feira de Carnaval. Constatei, definitivamente, que os componentes dos grupos de Carnaval não se divertem no desfile atrás dos seus carros, alegadamente, alegóricos. Aliás, a grande maioria faz um frete de todo o tamanho e não entendo porque continuam com a falta de qualidade de um carnaval nazareno contra-natura. Nas bandas infernais sim, aí divertem-se a valer. É aí que está grande parte do espírito do nosso Carnaval. Transformem esses grupos em bandas infernais, deixem essas alegadas alegorias e vejam como tudo fica diferente. Transformem esse carnaval sem qualidade e mal organizado em algo mais parecido com o que se passa no Domingo Gordo, de manhã à noite no seio das verdadeiras Bandas Infernais.




comentar
gargolado por westnelson, em 22.02.10 às 01:59 link do gargol | | favorito

 

Acabou o Carnaval 2010. Foi um ápice. Demorou tanto a chegar e, quando demos por ela, já tinha ido embora.
Para uns, foram 5 dias, para outros, mais de um mês. Foram dias que ficaram na memória de todos - Dos que gozaram e dos que não gozaram; Dos que gostaram e dos que não gostaram. Enfim, de todos mesmo. Pois, sem querer nós lá estamos inseridos, muitas vezes sem nos apercebermos. Ou por que estamos na rádio a pôr marchas a tocar, ou por que estamos nos ensaios de ranchos cegadas e outras brincadeiras, ou por que estamos na feitura de carros alegóricos.
Cada um tem o seu Carnaval. Até mesmo aqueles que trabalham em cafés, bares, restaurantes, retrosarias, mercearias, etc. e tal. Porque tudo, naqueles dias, respira em função do Carnaval.
Foram noites sem “paração”, foi uma folia quase sem fim. Fotografias de tudo e de todos. Máscaras por fora e máscaras por dentro.
Concluindo, e como diz a marcha do José Maria Carepa, todos juntos fizemos “Mil Carnavais”.

PS. Continuem mais Mil, que eu por mim, “na m’importe”.

 

 

Eduardo Hespanhol

 

 


comentar
gargolado por barraca37, em 13.02.10 às 06:06 link do gargol | | favorito

Plús vistes na sou!

 

Eu, que até já fui "avisado" por membros da equipa pra entrar sem pagar, mas ok... caga nisse!

Eram 5 da manhã - "for god sake!" 5 euros não será demais?

 

Quanto não vale a publicidade que eu e a minha banda fazemos - que até já foi reconhecido pelos próprios dirigentes da casa - ao dito cujo que ainda temos que "engolir" estes sapos ao pedir, quase por misericórdia, pra ir beber uns copos.

 

Ninguém tá pra iste e por isso rapidamente bazámos pra outro "acampamento",o que, quanto a mim, mete dó para quem "tanto" trabalha para o Carnaval da Nazaré. Apraz-me ainda dizer que tendo em conta o momento, é de estranhar que num báile que é o primeiro do género, se faça tanto preciosismo em relação à entrada.

 

Não queiram fazer aquilo que fizeram a uma das salas de báile mais típicas na Nazaré... por favor! Agente gosta do Mar-Alte!

mais em barraca37 


comentar
gargolado por westnelson, em 04.02.10 às 23:34 link do gargol | | favorito

Ora aí está uma boa iniciativa por parte do município, os "TEC", ou se preferir o "SENTP": Para todos aqueles que gostam de se encharcar parcialmente ou totalmente, mesmo que não chova, o município da Nazaré durante o período de Carnaval, criou um serviço especial nocturno de transporte de passageiros. Pode ver mais aqui e aqui desde datas e horários até aos locais percorridos.

Mas, se quiser fazer uma viagem antecipada, também poderá fazê-lo aqui, não num destes transportes, antes, terá de usar este link que o levará até parte da "Boa Onda da Blogosfera" entre outros sítios.

 


comentar
gargolado por westnelson, em 30.01.10 às 12:45 link do gargol | | favorito

Realiza-se este Sábado pelas 16h00 no auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré a tertúlia intitulada "do Entrudo ao Carnaval". A documentação oficial deste evento é composta do flyer e do convite destinado a toda a gente que queira participar. Não falte portanto a esta iniciativa com um tema muito caro à maioria dos Nazarenos.

 


comentar
gargolado por barraca37, em 26.01.10 às 15:05 link do gargol | | favorito

Este "manifesto" foi enviado para o meu mail pessoal e pretende dar a conhecer o que se passa na altura em que um júri - escolhido não sei por quem e com que autoridade - se decide por uma marcha geral em deterimento de outra.

 

Só me deu vontade de rir...

 

"POIS É AMIGOS, ESTA MARCHA PASSOU MUITO TEMPO COM O SALTA NHOCAS!! É TRISTE QUE NOS DIAS DE HOJE NÃO SE OIÇA UMA MARCHA PORQUE O CD SALTA!! ACHO QUE A CÂMARA NÃO TINHA NENHUM COMPUTADOR LIGADO... E MESMO OS AUTOMÓVEIS ESTAVAM SEM BATERIA... FALTA DE CONSIDERAÇÃO POR DOIS " GRANDES" DA MÚSICA NAZARENA... SIM...VICTOR MAURÍCIO E JOÃO MIGUEL QUE TANTAS VEZES FIZERAM ORGULHAR A NOSSA TERRA!! A FALTA DE EXISTÊNCIA DE UM PLANO "B" PARA A ESCUTA DE UMA MARCHA É IMPERDOÁVEL E REVELA A TOTAL IGNORÂNCIA PELO SUPOSTO JÚRI...MAS COMO DIZ O OUTRO... NÓS POR CÁ... É ASSIM!! ESPERO QUE GOSTEM DA NOSSA MARCHA E QUE A ABRACEM COMO SE VOSSA SE TRATASSE, É DEDICADA A TODOS OS NOSSOS AMIGOS... ( EM ESPECIAL AO JÚRI, QUE AGORA A PODE OUVIR BEM...)


PS - PARA O ANO FICA A SUGESTÃO: ENVIO DE MARCHA POR EMAIL. PODE SER QUE ASSIM O FAMOSO RÁDIO LEITOR DE ALGUNS CDS TENHA DESCANSO... JÁ RENDEU OS 30 EUROS QUE CUSTOU NO CARECA!!
BOM CARNAVAL"

 

Para quem tem um leitor que "salte" fica aqui o link para descarregar e ouvir a marcha...

 


comentar
gargolado por barraca37, em 25.01.10 às 11:19 link do gargol | | favorito

...numa discoteca. Parece incrível, mas também é verdade que ninguém me obrigou a lá ir!

 

Eram quase 5 da matina e eu, mais 7 amigos, decidimos rumar à sala de baile “mais conhecida” e com “mais tradição” da Nazaré para beber os últimos copos da noite, que até ali estava a ser bastante agradável. Pediram-nos 3 euros a cada um para ouvirmos 3 ou 4 marchas interpretadas pela banda residente e depois passámos mais de uma hora a ouvir um DJ a passar apenas metade das marchas.

Quando se quer ganhar tudo ao mesmo tempo é nisto que dá, salas vazias que não dão “pica nenhuma”, incluindo aos músicos!

 

 

 

Os responsáveis pelo Casino que estejam atentos! Podem estar a “queimar” uma das salas de baile com mais tradição da Nazaré. Reflictam no modelo de negócio e no tipo de foliões que realmente querem agradar para depois oferecer aos mesmos o divertimento que estes merecem!


 

 

mais em barraca37

 

sinto-me:

comentar
gargolado por westnelson, em 26.02.09 às 14:37 link do gargol | | favorito


Apesar de ter decorrido sem grandes problemas o desfile de Terça-feira de Carnaval deixa muito a desejar. O desfile de Domingo, composto essencialmente pelas bandas infernais, essas sim, uma tradição da terra deixa no ar uma atmosfera de alegria, brincadeira, e boa disposição mais ao estilo do nosso Carnaval trapalhão em que a organização é a essencial deixando o espaço necessário para a desorganização. Pelo contrário, o desfile de Domingo, sem as bandas infernais, queria-se um exemplo em organização, mas ao invés, reina a desorganização, isto, muito por culpa da própria comissão que, em vez de se posicionar e movimentar por pontos chave do percurso, andava a desfilar. Uma das coisas erradas do nosso Carnaval é a comissão escolhida, ainda que um grupo de Carnaval, andar a fazer o desfile como se de outro qualquer grupo se tratasse. O grupo escolhido para comissão, nesse ano, deveria limitar-se a organizar a parte do carnaval a que se deve por direito, abstendo-se de participar no desfile. Assim se evitaria alguns pontos negros do nosso desfile de Terça-feira. Toda a minha gente anda pelo meio do desfile a seu belo prazer, desde as pessoas da assistência aos acompanhantes dos grupos, que por levar crianças pequenas acompanham "in loco" o respectivo grupo. Por outro lado, as próprias pessoas deviam ter consciência de não o fazer. Os grupos de Carnaval com um deficit de participantes não deviam participar neste desfile que se queria, apesar de ser à nossa maneira, grandioso e não, por vezes, rasca em que nem sequer um carro alegórico digno desse nome têm, levando uma simples carrinha que nada tem para mostrar e que nada dignifica o nosso Carnaval. Outro ponto negro do desfile de Terça-feira, e essa da responsabilidade de alguns grupos, é a maneira como desfilam parecendo que até são obrigados a ir ali, sem alegria, desorganizados, e o pior, a maioria dos seus elementos com a cerveja na mão, alguns ainda uns putos que nem um pelo na cara têm. O desfile de Domingo precisa urgentemente de crescer. Uma vez que se gasta o dinheiro, então que seja com ponderação e não aceitar todo e qualquer grupo no desfile que lá porque assim combinaram no intervalo da escola, três ou quatro putos, decidiram fazer um grupo de carnaval. Longe vão os tempos dos loucos da folia, dos moinhos e outros grupos dignos do desfile e do nosso Carnaval, agora sustentado e apoiado nas mais antigas e bem compostas bandas infernais que por direito próprio vão para a rua no Domingo de manhã até à hora dos bailes, algumas até, por opção, sem as tais ajudas da CMN.

 


comentar
gargolado por westnelson, em 09.02.09 às 03:19 link do gargol | | favorito

Como é bom recordar os tempos do do Sr. Benjamim ferro velho, do Ti Enzelino lá ao norte, dos botes de piteira, dos piões stinetas, e de tantas outras coisas que o tempo leva mas não apaga das memórias daqueles que as viveram. Uma excelente marchinha de Carnaval (dedicada às vivencias de outros tempos na Nazaré), como o João Tavares já nos habituou e um trabalho de pesquisa e montagem de vídeo também ao nível daquilo que o Batalha já nos tem brindado.
 

 


comentar
gargolado por westnelson, em 03.02.09 às 04:46 link do gargol | | favorito

Oficialmente arranca hoje o Carnaval da Nazaré com a tradicional romaria ao monte de S. Brás  com o baile onde serão apresentados os Reis de Carnaval, D. Pompeu Tomé e D.ª Conceição Duarte com muita gente mascarada. O velho costume popular da subida à capela de S. Bartolomeu no cume do monte onde se pode apreciar uma vista magnifica sobre toda a região, convive pacificamente com a festa profana. No sopé do monte, milhares de pessoas comem e, bebem ainda mais, todo o "santo" dia com predominância sobre a parte da tarde, em ambiente de verdadeiro piquenique, e à volta de fogueiras assam carne e enchidos, bem regados... de boa disposição (assim o tempo e S. Pedro o permita!).

 

As origens da Romaria de S. Brás, considerada uma das mais genuínas manifestações populares da Nazaré, perdem-se nos tempos e confundem-se com a lenda. De acordo com a tradição oral, quando Frei Romano e D. Rodrigo, último rei visigodo na Península Ibérica, se refugiaram na Nazaré trouxeram, para além da imagem de Nossa Senhora da Nazaré, as relíquias de S. Brás e de S. Bartolomeu. A veneração aos dois santos resistiu ao passar dos tempos, e se S. Bartolomeu deu o nome ao Monte onde se situa a ermida, S. Brás mantém a sua romaria como uma das mais importantes festas populares de toda a região.

Fonte: Gabinete de Imprensa e Comunicação da Câmara Municipal da Nazaré





Copyright Gargol 2013 | linhas mestras | gargol@sapo.pt

eXTReMe Tracker






Linhas mestras

gargol@sapo.pt
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


pesquisar no Gargol
 
.
mais comentados
3 gargoladelas
3 gargoladelas
2 gargoladelas
gargoladas antigas